Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Sporting Olympics - Rio 2016 - Tóquio 2020

Diogo Abreu

  • 26 Anos Trampolins
  • Data de nascimento 05 setembro 1993 184 cm | 75 kg
  • País Portugal

Está aqui

Biografia
Diogo Ferreira Tribolet de Abreu

Diogo descobriu a ginástica por influência da mãe, Margarida Abreu, antiga atleta ‘leonina’ que integrava A Mista – classe de demonstração mais antiga do País, que comemorou 40 anos de existência em 2015 – e que o inscreveu nas Férias em Movimento, uma colónia de férias em que os mais novos podiam experimentar várias modalidades ‘leoninas’. Ali, despertou o interesse da treinadora Ana Figueiredo (que ainda hoje o acompanha) assim que experimentou voar nos trampolins. A ‘performance’ involuntária, a revelar um talento natural para a modalidade, haveria de lhe valer a entrada para o Clube, aos oito anos – já depois de ter vivido um ano no Canadá e três em Stanford, nos Estados Unidos, onde nasceu.

Começou pelo duplo mini-trampolim mas, aos 16 anos, passou definitivamente para o trampolim, especialidade onde conquistou as medalhas mais significativas da sua carreira. Apesar de a ginástica ocupar vários espaços da sua vida, não ocupa todos: quando tem tempos livres, Diogo gosta de se dedicar a outros desportos, aproveitando para jogar ténis e futebol (como ponta de lança), e para seguir as suas séries favoritas, como ‘Uma família muito moderna’ ou ‘Guerra dos Tronos’. E, claro, para se dedicar à licenciatura de Engenharia Electrotécnica no Instituto Superior Técnico, o que o obriga a ‘ginasticar’ o seu tempo, estudando nos intervalos dos treinos. Mas o balanço é positivo. “Quando vejo os benefícios, não me arrependo de nada”, diz.

Diogo está em grande forma: em 2015 foi campeão nacional e prata por equipas, vencedor da Taça de Portugal e fez história ao ser o primeiro ginasta do Sporting a conseguir um lugar num ‘Test Event’ de apuramento olímpico, onde vai disputar a vaga nacional com Diogo Ganchinho, depois do 21.º lugar alcançado no Mundial em Odense, na Dinamarca – a sua melhor prestação de sempre na prova, superando o 22.º conquistado em Sófia. A principal meta é, por isso, o Rio de Janeiro. “É o principal objectivo para o qual estou a trabalhar” assume. Agarrou o Projecto Olímpico no Europeu de Guimarães, em 2014, onde, apesar de ter falhado a final da prova individual por uma posição (foi ultrapassado por um atleta alemão, um dos últimos saltadores), foi medalha de prata por equipas, ao lado de Diogo Ganchinho, Tiago Lopes e Ricardo Santos, perdendo apenas para a Rússia, uma potência na modalidade, e conseguindo um feito nunca antes alcançado por uma equipa lusa masculina.

Prémios

- Apuramento para o test event dos Jogos Olímpicos do Rio'2016

- 3.° lugar na Taça do Mundo de Sincronizado na Rússia (2015)

- 2.° lugar na Taça do Mundo de sincronizado em Loulé (2012)

- Múltiplas vezes Campeão Nacional

- Actual Bicampeão Nacional Sénior Elite individual

- 2.° lugar por equipas no Campeonato da Europa em Guimarães (2014)

- Participação no primeiro Campeonato do Mundo aos 18 anos (2011)

- Quatro participações em Campeonatos do Mundo Seniores

- Meia-final do Campeonato do Mundo (2013 e 2015)

- 4.° lugar nos Jogos Mundiais Sincronizado na Colômbia (2013)

- Duas finais em Taças do mundo Individual (2014, na Bielorrússia; 2015, em Loulé)

- Finalista por equipas no Campeonato do Mundo na Bulgária (2013)