Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

4
Futebol - Equipa principal

Sebastián Coates

  • 27 Anos Defesa
  • Data de nascimento 07 outubro 1990 1,96m | 92 kg
  • País Uruguai
  • 0 Golos
  • 0 Jogos
  • 0 Minutos Jogados
  • 0 Assistências
  • 0 Amarelos
  • 0 Vermelhos

Está aqui

Biografia
Sebastián Coates Nión

Aquele período que medeia o vestir da camisola do Sporting, o selar do acordo com o cumprimento ao Presidente Bruno de Carvalho e a primeira entrevista às plataformas do Clube deixa sempre escapar uma ideia sobre o reforço acabado de contratar. No caso de Sebastián Coates, houve um pormenor que se destacou em Janeiro de 2016, quando chegou a Alvalade – a alegria de quando viu o novo equipamento já vestido. “Gostas?”, questionou o representante em inglês. “Sim, muito”, disparou o central uruguaio de sorriso nos lábios. “É ‘muy’ linda, na verdade tem uma cor muito bonita”, admitiria depois nas primeira palavras como jogador ‘verde e branco’. O internacional de 1,96 metros tem respostas curtas mas convictas de quem chegou a um bom porto.

“O Sporting é um Clube com muita história. É um dos grandes clubes de Portugal e estou muito contente. Vou dar o meu máximo, trabalhar e fazer o melhor possível”, garantiu o número 13, que chega a Alvalade por empréstimo do Sunderland, ficando o Sporting com opção de compra de cinco milhões de euros no final da temporada. “Jogo na Europa há vários anos e sou um jogador que gosta de ganhar, isso é o principal de mim. Tento deixar sempre tudo em cada treino e nos jogos. Trabalho duro, que é o mais importante, e vou tentar deixar tudo em campo pelo Sporting. Conheço o treinador e muito do seu trabalho. O Sporting está muito forte, em primeiro lugar na Liga, e tem uma prova europeia, que também é importante. Esperemos que possa ajudar a equipa”, acrescentou antes de deixar o segredo para o sucesso na primeira pessoa, também aplicável à nova aventura: “A chave para ganhar é sempre o trabalho, treinar duro dia-a-dia, deixar sempre o máximo e tenho essa ambição de conquistar títulos pelo Sporting”.

Em paralelo, os ‘leões’ voltam a retomar o filão de um país considerado por alguns como o ‘Portugal da América do Sul’ – pequeno mas em constante criação de grandes talentos do futebol mundial. Coates admite que não falou com nenhum compatriota antes de rumar a Alvalade mas recorda as histórias positivas que aqueles que por cá jogaram iam contando. “Quando estávamos na selecção falava muito com o Alvaro Pereira e o Fucile, comentavam como era Portugal e viver aqui, os jogos do Campeonato... Diziam-me sempre bem, diziam que se sentiam muito bem por cá”. Em sentido inverso, Carlos Bueno, avançado que jogou de ‘leão’ ao peito em 2006/07 – e que será sempre recordado pelo ‘poker’ em menos de meia hora frente ao Nacional na goleada por 5-1 –, deixou muitos elogios à qualidade do compatriota: “É implacável no jogo aéreo e vai pegar de estaca na equipa. Se fosse avançado, não gostaria de defrontá-lo”. Talvez por isso, o defesa ganhou a alcunha de ‘Patrão’. E será essa a melhor palavra para defini-lo? “Pode ser, pode ser... É um nome que me colocaram no Uruguai e quiçá possa ser bom que me chamem assim, sendo defesa. Todavia, também quero mostrar o porquê disso mesmo”.

Formado no Nacional de Montevideu, Coates foi contratado pelo Liverpool em 2011, tendo depois disso representado de novo o Nacional e o Sunderland, para onde se transferiu este ano a título definitivo. Assumindo as diferenças entre a Premier League e o tipo de futebol que se joga em Portugal, o internacional explicou também a outra ligação que tem a terras britânicas. “Em Inglaterra o jogo é um pouco mais agressivo mas os árbitros não marcam tantas faltas. Espero adaptar-me rapidamente ao estilo da Liga portuguesa. Raízes? É verdade que ainda tenho antepassados escoceses mas já é um pouco longínquo, era o avô do avô... Ainda assim, parte da família veio da Escócia, sei disso. Escreveram que poderia vir a representar a selecção mas não é verdade, além do que se escreveu sobre isso nunca me fizeram a proposta formal para jogar na Escócia”, frisa o jogador que, tendo um filho de 15 meses, gosta de aproveitar os tempos livres para estar com a família. “E vamos de certeza conhecer muito de Portugal”, ressalva.

Por fim, ‘a’ pergunta: para um jogador de 25 anos que já ganhou a Copa América (em 2011, tendo mesmo sido o considerado o melhor jogador jovem da competição) e esteve nos Jogos Olímpicos e no Campeonato do Mundo, o que falta agora? “Falta-me consolidar mais numa equipa e ganhar títulos. Oxalá que seja este o momento para poder cumprir isso”, concluiu. Pelas primeiras impressões, tem tudo para ser mesmo.

Clubes anteriores

2001-2008: Nacional Montevideu (Uruguai) (formação)
2008-2011: Nacional Montevideu (Uruguai)
2011-2013: Liverpool (Inglaterra)
2013/2014: Nacional Montevideu (Uruguai) (empréstimo)
2014/2015: Sunderland (Inglaterra) (empréstimo)
2015: SPORTING CP

Prémios

1 - Copa América (2011)
3 - Campeonato do Uruguai (2008/09, 2010/11 e 2011/12)
1 - Taça da Liga de Inglaterra (2011/12)