Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Comunicado Sporting Clube de Portugal

Por Sporting CP
22 Mar, 2019

Informação sobre o primeiro jogo dos quartos-de-final da Liga Europeia

O Sporting Clube de Portugal informa que o jogo da primeira mão da Liga Europeia de hóquei em patins, que opõe neste sábado os Leões aos italianos do AW Lodi, não terá transmissão televisiva.
 
Apesar da intenção do Sporting CP e da Sporting TV em transmitir a partida em directo, o Clube foi informado de que não existirá produção televisiva local.
 
O Sporting Clube de Portugal lamenta que um encontro de tamanha importância e qualidade não tenha transmissão televisiva, o que vai impedir os adeptos – que não estejam no local – de acompanhar o desafio.
 
O AW Lodi - Sporting CP está marcado para as 20h00 (portuguesas) do próximo sábado, 23 de Março.

COMUNICADO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD

Por Sporting CP
11 Mar, 2019

Comunicado do Conselho Directivo sobre os vergonhosos acontecimentos ocorridos após o jogo Boavista FC - Sporting CP

Por Sporting CP
10 Mar, 2019

Em face dos vergonhosos acontecimentos ontem verificados depois do final do jogo Boavista FC - Sporting CP – nomeadamente, as cobardes agressões ao membro do Conselho Directivo (CD) do Sporting Clube de Portugal (SCP) e também o clima de intimidação criado por um grupo de cerca de 20 pessoas, algumas pertencentes aos Órgãos Sociais do Boavista FC, sobre dois membros do CD do SCP, eventos que tiveram como testemunha maior o próprio presidente da Liga de Clubes, Dr. Pedro Proença, e que mereceram um pedido de desculpas dos dirigentes do Boavista FC, Dr. Álvaro Braga e Dr. Vítor Murta, ao presidente do SCP – o Conselho Directivo do Sporting Clube de Portugal informa que:

a. Agirá criminalmente contra Jorge Loureiro, sócio 1640 do Boavista FC e membro do Conselho-Geral do Boavista FC, pelas agressões contra um membro do Conselho Directivo do SCP, conforme já registado pelo Sr. Comandante Benjamim Ribeiro;

b. Participará junto da Liga Portugal, da Federação Portuguesa de Futebol e das entidades competentes com vista à exclusão de Jorge Loureiro dos recintos desportivos de Portugal;

c. Participará junto da Liga Portugal e da Federação Portuguesa de Futebol para comprovar as condições de segurança existentes no Estádio do Bessa, devendo aquelas entidades tomar as necessárias medidas, nomeadamente disciplinares, quanto aos factos ocorridos contra o dirigente do SCP.

O futebol português necessita de ser defendido de todos estes ataques. Todos os dirigentes desta modalidade têm de conseguir pautar as suas condutas e intervenções com elevado sentido de urbanidade e respeito por todos os agentes. Temos de conseguir pôr fim a estes delírios que quase todas as semanas envergonham o nosso campeonato.

O Sporting Clube de Portugal e o seu Conselho Directivo continuarão a lutar por uma forma de estar diferente no futebol em Portugal, procurando dignificar esta indústria e o espectáculo, defendendo sempre a Verdade.

Conselho Directivo, 10 de Março de 2019

Comunicado Sporting Clube de Portugal

Por Sporting CP
04 Mar, 2019

Comunicado por Carlos Reis e Rui Ferreira

O Sporting Clube de Portugal informa que chegou a acordo para a rescisão do mútuo acordo do vínculo que o ligava a Carlos Reis, treinador da equipa sénior feminina de futsal.

O Sporting Clube de Portugal deseja a Carlos Reis os melhores sucessos pessoais e profissionais.

Informa-se ainda que Rui Ferreira, até à data treinador da equipa de juvenis feminina, vai comandar a equipa sénior feminina até ao final da temporada.

Comunicado Conselho Fiscal e Disciplinar - Decisão do Processo 7/2018

Por Sporting CP
01 Mar, 2019

SPORTING CLUBE DE PORTUGAL

COMUNICADO DO CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

O Conselho Fiscal e Disciplinar do Sporting Clube de Portugal vem comunicar aos sócios ter sido proferida decisão final no âmbito do processo disciplinar número 7/18, em que são arguidos os sócios visados Bruno Miguel Azevedo Gaspar de Carvalho (“Bruno de Carvalho”), Carlos Fernando Barreiros Godinho Vieira (“Carlos Vieira”), Rui Pereira Caeiro (“Rui Caeiro”), José Eduardo da Câmara Correia de Lemos Quintela (“José Quintela”), Luís Filipe Teixeira Gestas (“Luís Gestas”), Luís Miguel Salgueiro Roque (“Luís Roque”) e Alexandre António Gaspar Carvalho Godinho (“Alexandre Godinho”).

Assim, foi deliberado pelo Conselho Fiscal e Disciplinar aplicar as seguintes sanções:

- O Sócio Visado Bruno de Carvalho foi punido com a sanção de Expulsão;

- O Sócio Visado Alexandre Godinho foi punido com a sanção de Expulsão;

- O Sócio Visado Carlos Vieira foi punido com a sanção de Suspensão por nove meses;

- O Sócio Visado Luís Gestas foi punido com a sanção de Suspensão de seis meses;

- O Sócio Visado Rui Caeiro foi punido com a sanção de Repreensão Registada.

Mais foi deliberado arquivar os autos quanto aos sócios visados:

- Luís Roque;

- José Quintela.

Recorde-se que este processo foi instaurado pela Comissão de Fiscalização, tendo sido notificada a nota de culpa aos sócios visados a 23 de agosto de 2018.

Refira-se que os sócios visados Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho não contestaram a nota de culpa.

Por o processo visar anteriores membros dos corpos sociais, designadamente, membros do Conselho Diretivo que vieram a ser destituídos pela Assembleia Geral de 23 de Junho de 2018, O Conselho Fiscal e Disciplinar julgou preferível que, nos termos do disposto no artigo 9º, nº3, do Regulamento Disciplinar, aprovado na Assembleia Geral de 17 de Fevereiro de 2018, fosse designado um instrutor externo para o presente processo, o que se fez.

Foram realizadas múltiplas diligências de prova no âmbito do processo, quer por iniciativa do instrutor, quer as requeridas pelos sócios visados que apresentaram contestação à nota de culpa.

Elaborado o relatório final, julgou-se que os sócios visados praticaram múltiplas e gravíssimas infrações disciplinares:

Bruno de Carvalho (12 infrações disciplinares), Alexandre Godinho (10 infrações disciplinares), Carlos Viera (seis infrações disciplinares), Luís Gestas (quatro infrações disciplinares) Rui Caeiro (duas infrações disciplinares).

Aos sócios visados Luís Roque e José Quintela, concluído o processo e as diligências de prova realizadas, não foi imputada a prática de qualquer infração.

O Conselho Fiscal e Disciplinar anexa uma súmula da fundamentação da decisão ao presente comunicado para melhor esclarecimento dos sócios, atenta a extensão do relatório final com 109 páginas.

Refira-se, que o Conselho Fiscal e Disciplinar, na graduação das penas considerou quanto à aplicação da sanção mais grave prevista nos Estatutos e até no Regulamento, que os factos praticados, em acumulação, com premeditação, com relevantíssimos danos de imagem, moral e patrimonial, com dolo direto muito intenso, com liberdade, consciência e conhecimento da ilicitude pelos Sócios Visados Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho assumiram uma gravidade, uma ilicitude e uma censurabilidade tão grande e elevada que apenas se coadunam com a aplicação concreta, da sanção mais grave prevista nos diplomas legais.

Estamos, em suma, perante a prática de infrações disciplinares muito graves não só para a imagem e para o património do Clube mas também para o próprio clube enquanto Instituição. Infrações que consubstanciam a prática de atos que visaram subverter a ordem, a orgânica, o funcionamento, a atividade e a subsistência do SCP.

A tentativa de bloqueio de contas e de usurpação de funções, com a agravante de ter ocorrido em momento posterior à sua destituição pelos sócios do Sporting Clube de Portugal em Assembleia Geral de 23 de Junho, a ação de obstaculizar a Assembleia e a violação do suspensão preventiva, com a agravante de serem comportamentos adoptados após ordens judiciais, a perturbação grave da Assembleia Geral de 23 de Junho, com reflexos que ainda se repercutiram no futuro, as publicações nas redes sociais, feitas não só com o intuito de perturbar o funcionamento da Assembleia Geral e, assim, o exercício dos legítimos direitos dos sócios de livremente poderem deliberar e votar, mas também com de ofender de forma gravemente ofensiva outros sócios e membros legítimos dos órgãos sociais (aqui em exclusivo quanto ao sócio visado Bruno de Carvalho), e ainda a utilização do Clube como seu domicílio profissional (aqui em exclusivo para o sócio visado Alexandre Godinho), são comportamentos de tamanha gravidade que revelam um total desrespeito pelo Clube, pelos seus Estatutos e pelos seus sócios. Infrações essas que consubstanciam uma quebra da relação de confiança irremediável, absoluta e inultrapassável, entre os visados e o Clube.

Considerou, assim, o Conselho Fiscal e Disciplinar só poder ser aplicada aos Sócios Visados Bruno de Carvalho (tendo praticado 12 infrações disciplinares) e Alexandre Godinho (tendo praticado 10 infrações disciplinares) a pena mais grave prevista nos estatutos, ou seja, a pena de expulsão.

Quanto às penas de suspensão a aplicar aos Sócios Visados Carlos Vieira e Luís Gestas, considerou-se que a responsabilidade de ambos é diferente. A sua participação nos factos é diversa assim como as consequências dos mesmos. Acresce, desde logo, ser imputada a cada um, respectivamente, a prática de 6 e 4 infracções disciplinares.

Assim, em relação ao Sócio Visado Carlos Vieira, não se demonstrando ser adequado, proporcional e necessário aplicar a sanção no seu limite máximo, ou seja, em um ano. Atento tudo o que se expôs quanto ao comportamento sancionado ao Sócio Visado Carlos Vieira, e sublinhando o facto de estar em causa sancionar a prática de 6 infracções disciplinares, considerou-se adequada, proporcional e necessária a aplicação da sanção de suspensão tendo como medida concreta da mesma os 9 meses.

Já em relação ao Sócio Visado Luís Gestas, para além do facto de estar em causa um número menor de infracções, mas ainda assim de 4 infracções disciplinares, e relevando devidamente não ter sido a sua participação nos factos tão intensa e de não terem resultado dos mesmos iguais consequências que as que pressupuseram a actuação do Sócio Visado Carlos Vieira, considerou-se adequada, proporcional e necessária a aplicação da sanção de suspensão de 6 meses.

Quanto ao sócio Rui Caeiro considerou-se, atento o menor número de infrações praticadas (duas) e um menor grau de participação nos factos, julgou-se ser suficiente a aplicação de uma pena de repreensão registada.

Quantos aos sócios Luís Roque e José Quintela não foram provados factos que permitam efetuar qualquer imputação de infrações aos mesmos, pelo que foram os autos, quantos aos mesmos, arquivados.

Os sócios visados foram notificados da decisão final, tendo sido comunicado que das decisões de expulsão e de suspensão cabe recurso para a Assembleia Geral, com efeito suspensivo e devolutivo respetivamente.

Foi, por último, deliberado pelo Conselho Fiscal e Disciplinar dar conhecimento da Deliberação tomada e sua fundamentação aos sócios.

Lisboa 1 de março de 2019

O CONSELHO FISCAL E DISCIPLINAR

Joaquim Baltazar Pinto | Presidente

João Frederico de Freitas Teives Henriques | Vice-Presidente

Frutuoso Pires Mateus | Vogal

José Pedro Albuquerque de Fezas Vital | Vogal

Bernardo Belo Catarino Foios Simões | Vogal

Pedro do Ó Barradas de Oliveira Ramos | Vogal

Pedro Jorge Cabral da Silva Nunes | Vogal

 

                Consultar comunicado do processo

                Consultar súmula do processo

Clubes pedem mais respeito pelos adeptos

Por Sporting CP
28 Fev, 2019

Em causa estão os recorrentes atrasos nas entradas dos recintos desportivos

Os 18 clubes da Liga NOS e a Liga Portugal emitiram um comunicado conjunto em que pedem mais respeito pelos adeptos.
 
Tal como o Sporting Clube de Portugal já havia alertado, os sucessivos atrasos nas entradas dos estádios são prejudiciais e só prejudicam o espectáculo do futebol português.
 
Leia o comunicado na íntegra:
 
Ex.mos Senhores:
 
O futebol profissional é uma actividade desportiva, mas também económica, que anualmente move milhões de adeptos em todo o Portugal Continental e nas Regiões Autónomas, com assinalável esforço financeiro dos adeptos e das sociedades desportivas promotoras dos jogos.
 
A segurança e o bem-estar destes adeptos impõem um esforço de coordenação entre aquelas sociedades desportivas e as forças de segurança pública e também privada, para cujo esforço as associadas da Liga Portugal sempre estiveram – e permanecem – inteiramente disponíveis.
 
Assinale-se, a esse propósito, que apenas o futebol organiza competições profissionais, do que decorre que é a única actividade desportiva regular que se vê legalmente constrangida a pagar por um serviço de policiamento que é público e que devia ser prestado pelo Estado.
 
Nesse sentido, os agentes do futebol profissional requerem, semanalmente, e pagam à tabela legal, o policiamento dos seus jogos, ecfetuado através de contingentes que a PSP e a GNR fixam de forma unilateral.
 
Os clubes profissionais têm o mesmo direito e a mesma legítima expectativa da prestação de serviços públicos que as demais entidades e os cidadãos que a cada jornada se deslocam aos jogos das competições profissionais não perdem, nem devem ver limitados, os seus direitos, pela mera circunstância de assumirem a condição de adeptos.
 
No entanto, e lamentavelmente, é isso que vem sucedendo de forma recorrente, com o condicionamento injustificado do acesso atempado dos adeptos aos recintos desportivos dos jogos das competições profissionais.
 
As sociedades desportivas da Liga NOS, inconformadas com o tratamento dedicado aos seus adeptos, que têm sido constrangidos a assistir apenas a parte de um espectáculo para o qual pagaram bilhete inteiro, taxado pelo escalão máximo do IVA, instaram, na presente data, Sua Excelência, o Senhor ministro da Administração Interna, o director nacional da PSP e o comandante-geral da GNR para que ordenem a adopção de comportamentos que assegurem o tratamento condigno dos adeptos que semanalmente se deslocam aos estádios.
 
Esta acção foi um primeiro e moderado passo conjunto das sociedades desportivas da Liga NOS, na defesa dos seus interesses comuns e dos seus adeptos, não ficando excluída a possibilidade de uma intervenção mais assertiva no caso, que não antecipamos provável, de se manter o actual desrespeito pelos direitos dos adeptos.
 
A Liga Portugal
 
As sociedades desportivas da Liga NOS,
 
Belenenses
Boavista FC
CD Aves
CD Feirense
CD Nacional
CD Tondela
FC Porto
GD Chaves
Marítimo M.
Moreirense FC
Portimonense
Rio Ave FC
SC Braga
SL Benfica
Sporting CP
Sta. Clara
Vitória FC
Vitória SC

Comunicado Sporting Clube de Portugal

Por Sporting CP
27 Fev, 2019

Informação sobre a meia-final da CEV Volleyball Challenge Cup

O Sporting Clube de Portugal informa que o jogo da primeira mão da meia-final da CEV Volleyball Challenge Cup, que opõe nesta quarta-feira, pelas 19h30, o Sporting CP ao Vero Volley Monza em Itália, não terá transmissão televisiva. O Sporting CP e a Sporting TV são completamente alheios a esta situação, tendo sido informados pela Confédération Européenne de Volleyball (CEV) apenas ao início da manhã desta quarta-feira que o importante encontro não terá produção, pelo que o jogo não será objecto de qualquer transmissão.

O Sporting Clube de Portugal lamenta que uma meia-final europeia seja vista, neste caso, apenas pelos adeptos que se desloquem ao pavilhão do Vero Volley Monza, mas garante, desde já, que a segunda mão, que se vai realizar no Pavilhão João Rocha, será transmitida em directo e em exclusivo para todo o mundo pela Sporting TV na próxima semana, dia 6 de Março, pelas 17h00.

COMUNICADO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD

Por Sporting CP
20 Fev, 2019

A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL - FUTEBOL, SAD informa sobre transações de jogadores do mercado de Inverno

A SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD vem, nos termos e para efeitos do cumprimento da obrigação de informação que decorre do disposto no artigo 248º, nº1 al. a) do Código dos Valores Mobiliários, prestar informação ao mercado sobre resumo das operações de entradas e saídas de jogadores ocorridas no mercado de transferências de inverno.

Consulte toda a informação aqui

COMUNICADO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD

Por Sporting CP
19 Fev, 2019

Comunicado por Luc Castaignos

A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informa que chegou a acordo com o jogador Luc Castaignos para a rescisão do seu contrato de trabalho.

A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD deseja a Luc Castaignos os maiores sucessos pessoais e profissionais.

COMUNICADO SPORTING CLUBE DE PORTUGAL – FUTEBOL, SAD

Por Sporting CP
18 Fev, 2019

Comunicado por Luís "Nani"

A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD informa que chegou a acordo com o jogador Luís "Nani", para a rescisão do seu contrato de trabalho.

A Sporting Clube de Portugal – Futebol, SAD agradece os serviços prestados, e deseja a Luís "Nani" os maiores sucessos pessoais e profissionais.

Páginas

Subscreva RSS - Comunicados