Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Sporting CP regressa às vitórias em casa

Por Jornal Sporting
09 Abr, 2016

Formação 'leonina' bateu o Belenenses por 3-0, na Academia Sporting, em Alcochete

A equipa de juniores do Sporting CP deu uma boa resposta ao desaire da semana passada (5-1, frente ao Rio Ave) e bateu o Belenenses, primeiro classificado até então, por 3-0. Ronaldo Tavares, Bruno Paz e Gil Santos marcaram os golos que deram a vitória ao conjunto ‘leonino’.

Na Academia Sporting, em Alcochete, a partida começou muito bem disputada, com o conjunto ‘leonino’ a ter maior pendor ofensivo na busca do primeiro golo do encontro. Francisco Sousa deu o primeiro aviso, ainda antes dos dez minutos, mas o remate do médio ‘verde e branco’ saiu fraco, ao lado da baliza defendida por Tiago Martins. O Belenenses apresentava um bloco mais baixo, entregando a posse de bola ao Sporting CP, que tentava ultrapassar a linha defensiva da formação do Restelo, mas sem grandes aproximações à baliza dos ‘azuis’. Jefferson Encada, num pontapé de ressaca, voltou a tentar assustar, mas o remate não levou a força nem a direcção desejadas e a bola acabou por ser encaixada pelo guardião do Belenenses.

A meio do primeiro tempo, o Sporting CP era a equipa que mais procurava chegar à vantagem, mas ambas as equipas encaixavam-se e acabam por se anular em campo, com os visitantes a mostrarem-se capazes de anular as tentativas de causar perigo por parte dos ‘leões’. Tudo corria bem a Belenenses, que praticamente abdicava da estratégia ofensiva em prol de uma defesa consistente, até ao minuto 28. Aí, o Sporting CP conseguiu quebrar a resistência dos ‘azuis’ e fez o primeiro da partida: boa combinação entre Francisco Sousa e Jefferson Encada no flanco esquerdo, com o extremo ‘leonino’ a cruzar para o coração da área, onde Ronaldo Tavares, a saltar mais alto do que a concorrência, ganhou nas alturas e cabeceou para o fundo das redes. Estava feito o 1-0 para a formação da casa e dado o tiro de aviso para tirar o adversário da ‘toca’. O Belenenses tentou responder, de imediato, mas a defensiva ‘verde e branca’ mostrou-se segura e o foco ‘leonino’ mantinha-se o mesmo: marcar. O Sporting CP não se contentou com o golo marcado, manteve as linhas altas e continuou a pressionar o adversário, obrigando-o a sair em contra-ataques rápidos. E foi num desses contragolpes que o Belenenses quase chegou ao empate, quando Diogo Pacheco apareceu bem nas costas da defensiva ‘leonina’ e quase serviu João Louro para o golo da igualdade, mas Guilherme Oliveira foi mais rápido e conseguiu um corte de carrinho crucial para impedir que o esférico chegasse ao avançado visitante.

O Belenenses ganhou novo fôlego com o golo sofrido e pareceu acordar ofensivamente para o jogo, pressionando mais os ‘leões’ e obrigando a alguns erros na saída de bola ‘verde e branca’. Os visitantes voltaram a levar perigo à baliza de Pedro Silva, mas, desta feita, foi Pedro Empis quem se posicionou bem para impedir que novo cruzamento perigoso chegasse ao seu destinatário, afastando o esférico da grande área ‘leonina’. Por esta altura, a toada do jogo tinha mudado e, na segunda metade do primeiro tempo, era o Belenenses quem empurrava o Sporting CP para o seu meio-campo, em busca do empate. Com uma saída rápida para o ataque, Jefferson Encada, um dos mais irrequietos dos ‘leões’, voltou a trabalhar bem na esquerda, antes de cruzar para o segundo poste, onde apareceu Gil Santos a rematar de primeira, mas à malha lateral. Até ao intervalo, os visitantes ainda dispuseram de um livre directo em zona frontal à baliza, mas Francisco Aguilar atirou por cima e o intervalo chegou com o Sporting CP a vencer por 1-0.

O segundo tempo começou com os ‘leões’ a pressionarem a saída de bola do Belenenses e foi fruto dessa boa pressão que resultou o segundo golo para o conjunto da casa. Bubacar Djaló roubou bem o esférico à saída da área adversária e cruzou para o seu interior, onde Ronaldo Tavares foi travado em falta. Na conversão da grande penalidade, Bruno Paz enganou Tiago Martins e fez o 2-0, à passagem dos 51 minutos. Com dois golos de vantagem, o Sporting CP ganhava maior conforto e estava bem na partida. Perto da hora de jogo, Pedro Empis trabalhou bem na esquerda, antes de cruzar para o segundo poste, onde apareceu Ronaldo Tavares a cabecear por cima, com muito perigo. Francisco Sousa também tentou a sua sorte na sequência de um livre directo, mas Tiago Martins encaixou bem e impediu os ‘leões’ de chegaram ao terceiro golo da partida, que parecia mais perto de aparecer do que o primeiro do Belenenses. E as previsões confirmaram-se: 75 minutos, livre directo em zona frontal e Gil Santos a atirar rasteiro e forte para o fundo das redes, assinando o 3-0 para o Sporting CP, numa segunda parte de completo domínio ‘verde e branco’.

Nos minutos finais, o Belenenses tentou chegar ao golo de honra, mas os ‘azuis’ nunca conseguiram impor o seu jogo e o máximo que conseguiram foi um remate de Bernardo Dias, bem agarrado por Pedro Silva. Os visitantes não marcaram, os ‘leões’ controlaram bem o encontro até ao seu fim e a vitória por 3-0 não fugiu, com o Sporting CP a dar uma boa resposta ao desaire da semana passada e a voltar aos triunfos. Com esta vitória, o Sporting CP ocupa a quinta posição, com nove pontos em seis jogos (menos quatro do que o Rio Ave, líder da prova). Na próxima jornada, o conjunto ‘verde e branco’ desloca-se a Coimbra, para enfrentar a Académica.

Selecção Sub-19 apurada para fase final do Europeu

Por Jornal Sporting
29 Mar, 2016

Triunfo por 3-1 frente à Eslováquia com Pedro Silva e Pedro Empis no 'onze'

A Selecção Nacional Sub-19 garantiu esta tarde a qualificação para a fase final do Campeonato da Europa da categoria, após vencer a Eslováquia por 3-1, num encontro relativo à terceira e última jornada do grupo 6 da Ronda de Elite realizado em Vila do Conde.

Com Pedro Silva e Pedro Empis de novo titulares no conjunto comandado por Emílio Peixe, Portugal, que estava obrigado a ganhar para garantir o apuramento, entrou muito forte na partida e apontou dois golos de rajada entre o minutos 17 e 18, por Rúben Dias e Bruno Costa. No segundo tempo, Pedro Delgado aumentou para 3-0 aos 72 minutos e o máximo que os eslovacos conseguiram foi reduzir por David Tijanic (79’).

Com este resultado, a Selecção Nacional terminou o grupo 6 com sete pontos (duas vitórias e um empate), mais um do que a Eslováquia e mais quatro do que a Rússia.

O Campeonato da Europa vai realizar-se entre os dias 11 e 24 de Julho na Alemanha. Além de Portugal, já estão também apurados Inglaterra (que surpreendeu a favorita Espanha na partida realizada hoje em Lepe), Áustria, Holanda, Croácia e França. A última vaga será disputada entre Itália e Turquia.

De referir que a fase final do Campeonato Nacional Sub-19 regressa este fim-de-semana, com o Sporting CP a receber na Academia o Rio Ave no domingo, dia 3.

Selecção Sub-19 a uma vitória do apuramento

Por Jornal Sporting
26 Mar, 2016

Empate com a Rússia 'obriga' Portugal a bater Eslovénia para ir ao Europeu

A Selecção Nacional Sub-19 empatou hoje a uma bola frente à Rússia, numa partida a contar para a segunda jornada do Grupo 6 da Ronda de Elite de apuramento para o Campeonato da Europa da categoria.

Com Pedro Silva e Pedro Empis titulares nas opções de Emílio Peixe, Portugal até chegou ao intervalo da partida no Estádio Cidade de Barcelos em vantagem com um golo de Pedro Delgado (41’) mas consentiu a igualdade em cima do minuto 90 por intermédio de Obolski.

Com este resultado, a Eslovénia, que ganhou hoje à Suécia por 3-1, lidera o Grupo 6 com seis pontos, mais dois do que Portugal. Assim, a Selecção Nacional está obrigada a ganhar na próxima terça-feira, dia 29, para garantiu a qualificação para a fase final.

Selecção Sub-19 goleia Suécia na Ronda de Elite

Por Jornal Sporting
24 Mar, 2016

Portugal começa apuramento para o Europeu com vitória por 4-0

A Selecção Nacional Sub-19 começou da melhor forma o Grupo 6 da Ronda de Elite de apuramento para a fase final do Campeonato da Europa da categoria, vencendo a Suécia por 4-0 num encontro realizado em Vila do Conde.

Com Pedro Silva e Pedro Empis como titulares, Portugal chegou ao intervalo a ganhar por 3-0 com golos de Alexandre Silva (13’) e Buta (23’ e 24’). No segundo tempo, Gonçalo Rodrigues fechou as contas aos 64 minutos.

Com o triunfo, os comandados de Emílio Peixe lideram o Grupo 6 com três pontos, os mesmo da Eslovénia, que venceu hoje a Rússia por 1-0 com um golo de Elsnik a três minutos do final. No sábado, Portugal defronta a Rússia em Barcelos.

Recorde-se que a Ronda de Elite vai apurar o primeiro classificado dos sete grupos agora em disputa para a fase final, que se juntarão à anfitriã Alemanha. A constituição dos restantes grupos é a seguinte:

- Grupo 1: Espanha, Inglaterra, Geórgia e Grécia

- Grupo 2: Israel, Itália, Suíça e Turquia

- Grupo 3: Rep. Checa, Roménia, Áustria e Eslováquia

- Grupo 4: Polónia, Irlanda do Norte, Holanda e Ucrânia

- Grupo 5: Bélgica, Croácia, Bulgária e Escócia

- Grupo 7: França, Dinamarca, Sérvia e Montenegro

"Merecíamos trazer pontos de um campo difícil"

Por Jornal Sporting
12 Mar, 2016

Análise de Tiago Fernandes à derrota por 3-1 sofrida no Seixal

O Sporting CP saiu derrotado do Caixa Futebol Campus, mas nem por isso foi inferior ao adversário. Tiago Fernandes era um treinador descontente com a injustiça do resultado, mas satisfeito pela atitude dos seus atletas, que, mesmo com menos um elemento em campo, conseguiram apresentar um maior caudal ofensivo do que o adversário e chegaram mesmo a reduzir a desvantagem no marcador, antes da machada final no resultado.

"Foi uma partida onde entrámos a dominar. Tivemos um ‘penalty’ claríssimo a nosso favor, que o árbitro não marcou, logo de seguida, uma bola isolada na cara do guarda-redes, que o Ronaldo Tavares não teve a felicidade de marcar, dispusemos de mais oportunidades, não tão flagrantes quanto esta, mas tivemos mais posse e controlo do jogo. O adversário, num ressalto a meio-campo, consegue colocar a bola nas costas da nossa defesa e inaugurou o marcador com o 1-0, contra a corrente do jogo. Depois, voltámos a jogar e a mandar no encontro. Tivemos mais oportunidades, sempre, mas não conseguimos fazer o golo”, explicou Tiago Fernandes, continuando: “O jogo foi muito assim: nós a procurar o golo e a não conseguir e o adversário a marcar. Fomos para o intervalo com o 2-0, alterei a estratégia da equipa para a segunda parte, onde fizemos o 2-1 com menos um jogador. Os meus jogadores tiveram uma alma muito grande e uma enorme vontade de ganhar e, quando estávamos a carregar, em casa do adversário, mais perto de marcar do que eles, levámos um golo num remate de fora da área, que surge de uma falta sobre o Pedro Ferreira a meio-campo, que daria o segundo amarelo ao jogador do Benfica. O árbitro deixou o jogo seguir, eles marcaram. Foi um jogo atípico em alguns lances e é pena pelo que os nossos jogadores fizeram. Merecíamos trazer pontos de um campo difícil, mas estão de parabéns pela atitude e pelo empenho”.

Os 'leões' tiveram um maior número de oportunidades em toda a partida e, não fosse a menor eficácia 'verde e branca' e o resultado poderia ter sido outro. A boa exibição ninguém a tira aos comandados de Tiago Fernandes, que encontrou um balneário decidido a dar a volta a este percalço, já na próxima jornada.

“Na primeira parte, o Benfica teve três remates à baliza, um deles sem perigo e em dois consegue marcar. Na segunda, não me recordo de o Pedro Silva ter feito uma única defesa. Eles fizeram um golo e nós, com menos um, procurámos sempre e jogar perto da área adversária e fazer um golo, mas não conseguimos. Faltou sempre alguma perspicácia na frente, na decisão e no último passe”, afirmou, concluindo: “Os jogadores tentaram sempre, remaram contra a maré, mas não tivemos a sorte do jogo e o adversário conseguiu tê-la. Os lances em que eles fizeram golo foram fortuitos, os outros nós tínhamos bem preparados e estudados. Tiveram três oportunidades, fizeram três golos; nós em dez, não fizemos nenhum, acabámos por fazer só um golo de ‘penalty’. Mas a equipa não se vai deixar ir abaixo, muito pelo contrário. Senti um balneário de cabeça levantada e com vontade de dar já uma boa resposta no próximo jogo, assim como os adeptos que foram ao Seixal, aplaudiram-nos de pé e isso deixa-me feliz. Viram que fomos melhores, mas não trouxemos pontos de lá por várias razões”.

Derrota decidida pela eficácia

Por Jornal Sporting
12 Mar, 2016

Sporting CP perde por 3-1 frente ao Benfica, no Seixal

A partida começou muito equilibrada, com ambas as equipas a dividirem o controlo da bola, mas o Sporting CP mais pressionante, ainda que não conseguisse criar nenhuma situação de perigo. Aos sete minutos, David Tavares foi derrubado por Pedro Amaral no interior da grande área ‘encarnada’, mas o árbitro da partida nada assinalou. Os ‘leões’ estavam mais perto da baliza defendida por Fábio Duarte e, aos 13’, Ronaldo Tavares desmarcou-se bem e foi servido por Pedro Ferreira, que deixou o ponta-de-lança na cara do guardião adversário, mas Ronaldo Tavares desperdiçou a clamorosa oportunidade, atirando ao lado. Quem não marca sofre e, no minuto seguinte, Alfa Esteves recebeu um grande passe longo de Azemovic nas costas da defesa ‘leonina’ e, isolado frente a Pedro Silva, não teve dificuldades em inaugurar o marcador a favor do Benfica.

Seguiu-se um momento de maior apatia no encontro, com ambas as equipas a tentarem aproximar-se das balizas adversárias, mas sem grande perigo. Os remates eram interceptados pelas defesas, os passes, muitas vezes, não levavam a direcção correcta e as ideias, essas, eram escassas. Aos 33’, os ‘leões’ fizeram a bola sobrevoar toda a área ‘encarnada’, mas, à semelhança de muitas outras ocasiões de bola parada, ninguém chegou para o desvio e o perigo esfumou-se. Um minuto mais tarde, o Benfica ameaçou, com Pedro Amaral a servir Alfa Esteves, que apareceu ao primeiro poste para cabecear, mas por cima da baliza defendida por Pedro Silva. Estava dada a ameaça, que viria a ser concretizada aos 36’, quando Diogo Mendes, depois de um livre batido por Guga Rodrigues, se antecipou ao guardião ‘verde e branco’ para dilatar o marcador. Ao intervalo, os ‘leões’ perdiam por 2-0, numa partida com poucas oportunidades e onde a eficácia ditava a vantagem da equipa da casa.

O segundo tempo começou com um corte com tanto de providencial como de fantástico, ao ‘tirar o pão da boca’ a Alfa Esteves, que seguia rapidamente na direcção da baliza ‘leonina’, a segundos de ficar na cara de Pedro Silva. Se a partida já estava complicada para o Sporting CP, mais ficou aos 57’, quando o capitão ‘verde e branco’ Bubacar Djaló viu o segundo amarelo e consequente vermelho por falta dura sobre Guga, deixando o Sporting CP reduzido a dez unidades.

Mesmo com menos um, os ‘leões’ instalavam-se no meio-campo adversário, em busca de reduzir a desvantagem de dois golos, algo que viria a acontecer, aos 69’, na sequência de uma grande penalidade: Guilherme Ramos trabalhou bem na grande área ‘encarnada’, antes de ser derrubado, deixando para Bruno Paz a responsabilidade de fazer o golo do Sporting CP. O médio ‘leonino’, não perdoou e fez funcionar o marcador, deixando tudo em aberto para os últimos 20 minutos do encontro. O mesmo Bruno Paz, seis minutos mais tarde, tentou empatar a partida, mas o tiro de longe saiu por cima da baliza defendida por Fábio Duarte. Quando os ‘leões’ tentavam o tudo por tudo para saírem do Seixal com, pelo menos, um ponto, Pedro Amaral deu a machadada final nas contas da partida e, com um bom trabalho individual, ao tirar a defensiva ‘verde e branca’ da frente, arranjou espaço para o remate de longe, que não deu hipóteses a Pedro Silva e fixou o resultado final em 3-1.

Com este resultado, o Sporting CP é apanhado na tabela classificativa pelo rival lisboeta, ficando ambas as equipas com seis pontos em quatro jogos, provisoriamente, no segundo lugar. Na próxima jornada, os ‘leões’ recebem o Rio Ave, na Academia Sporting, em Alcochete.

"A vitória é dos jogadores"

Por Jornal Sporting
06 Mar, 2016

Declarações de Tiago Fernandes após vitória por 1-0 sobre o V. Guimarães

Depois do triunfo dos juniores ‘leoninos’ sobre o V. Guimarães (1-0), o técnico Tiago Fernandes era um treinador satisfeito por a sua equipa ter sido capaz de ultrapassar o desaire da jornada anterior, frente ao Paços de Ferreira, e por ter conseguido vencer um jogo onde nem sempre a eficácia foi o ponto mais forte dos ‘leões’.

“Após um mau resultado, essa derrota teria de ser um ponto de partida para uma grande vitória aqui em casa. Sabíamos que o V. Guimarães era uma bela equipa, com jogadores de qualidade, que poderiam causar desequilíbrios, pôr em causa o nosso processo defensivo e desorganizar-nos, caso conseguissem chegar ao golo, mas conseguimos anular essas mais-valias. Podíamos ter sido felizes na finalização num ou noutro lance do primeiro tempo, mas o golo chegou e foi justo. O adversário, na primeira parte, fez um remate à baliza, nós controlámos o jogo sempre. Falei com eles ao intervalo para sermos mais perspicazes e eficazes no último terço ofensivo, porque chegávamos la com facilidade mas depois não concluíamos com a eficácia que sinto que eles podem ter. Na segunda parte, sabíamos que, contra o vento, teríamos de ter mais bola no pé e conseguir jogar, e foi assim que chegámos ao golo, com um bom passe para o Ronaldo, que foi oportuno e fez mais um golo. Foi uma vitória sofrida, mas vai ser sempre assim até ao final. Temos de ter capacidade de sofrimento para ultrapassar estes adversários que vão ser todos difíceis”, explicou Tiago Fernandes, continuando: “Ao intervalo, rectifiquei um pouco a estratégia no momento em que entravamos na criação e finalização. Tínhamos de ser objectivos e práticos, sabíamos que o V. Guimarães ia ter tempo de baixar os sectores e dar pouco espaço entre linhas. Tínhamos de estar atentos para ficar com a bola em nosso poder, fiquei contente por termos marcado dessa forma, mas a vitória é dos jogadores. Tenho um grupo fantástico e é assim que vamos continuar atá ao fim, com o objectivo de ganhar jogo a jogo e uma ambição tremenda neste plantel”.

O técnico ‘verde e branco’ abordou ainda a versatilidade que muitos jogadores do seu plantel apresentam, sendo capazes de oferecer várias soluções em diferentes posições, como Jefferson Encada ou Bruno Paz, deixando um aviso à navegação sobre aquilo que será o resto do Campeonato.

“Um jogador, quando tem qualidade, tem facilidade em adaptar-se a diferentes posições e o processo de treino ajuda a que se sintam confortáveis em todas elas. O Jefferson Encada era um ala, que tem jogado a lateral. Gosto e sinto que tem capacidade para ser um lateral de futuro. O Bruno Paz é um jogador que tenho de o meter à baliza para ver se joga mal… Joga bem em todo o lado, com uma qualidade de jogo impressionante. Agora, tem de continuar assim porque ainda não fez nada, ainda não ganhámos nada e ele sabe que precisa de continuar assim para ajudar a equipa. Fico feliz porque ele fica preparado para jogar em qualquer posição com a mesma vontade e humildade”, afirmou o treinador do Sporting CP, concluindo: “O Campeonato vai ser assim, muito difícil e equilibrado. Não vai haver nenhuma fuga de pelotão, vai-se manter tudo junto até ao fim. Quem tiver mais arte, perspicácia, empenho, dedicação e querer, vai acabar por ser campeão porque a qualidade individual dos jogadores é muita. Temos uma geração de juniores como nunca tinha visto e agora cabe às estratégias, à perspicácia e à intuição dos próprios jogadores resolver a competição”.

Um golo contra a monotonia

Por Jornal Sporting
06 Mar, 2016

'Leões' vencem V. Guimarães por 1-0 e sobem ao segundo lugar

Os juniores do Sporting CP conseguiram uma suada, mas justa, vitória sobre a formação do V. Guimarães por uma bola a zero, na 3.ª jornada da fase de campeão do Campeonato Nacional e escalaram a tabela classificativa até ao segundo lugar, com duas vitórias em três jogos, apenas atrás do P. Ferreira, com mais um ponto.

O encontro foi, quase na sua totalidade, muito disputado a meio-campo, sem grandes oportunidades nem rasgos de inspiração de ambas as partes. A garra e a capacidade de combate sobrepôs-se, muitas vezes, ao talento e à técnica dos jogadores, principalmente nos primeiros vinte minutos de jogo, onde nenhum lance de perigo teve lugar nas zonas de decisão, junto às balizas. Ronaldo Tavares começou por desviar um cruzamento ao primeiro poste, mas sem grande motivo de alarme para Filipe Dinis, antes de chegar milésimos de segundo atrasado ao passe de Pedro Empis, ao segundo poste, permitindo que o guardião vimaranense ficasse com o esférico. Aos 21 minutos surgiu a melhor oportunidade de toda a primeira parte, protagonizada pelo conjunto ‘leonino’, com Pedro Ferreira, num remate de ressaca à entrada da área, a atirar muito perto do alvo.

O jogo era de combate e, quando em posse, os ‘leões’ viam sempre algo correr mal, fosse a decisão tomada pouco correcta ou o toque dado na bola um acrescento desnecessário. Ainda assim, os lances de maior perigo, assim como a superioridade no capítulo ofensivo, pertenciam ao Sporting CP, que, por pouco, não chegou ao golo da vantagem por intermédio de Bruno Paz, que desviou um pontapé de canto batido por Pedro Ferreira, ao segundo poste, mas a centímetros do poste esquerdo do V. Guimarães. Pelo meio, Nuno Gonçalves, central vimaranense, desentendeu-se com o seu guardião e, perante a pressão alta de Ronaldo Tavares, viu-se obrigado a aliviar uma bola pela linha de fundo, quase fazendo auto-golo. No último lance dos primeiros 45 minutos, foi a vez da linha defensiva ‘verde e branca’ também ela facilitar, com Gonçalo Vieira e Guilherme Ramos (que, tirando este lance, estiveram imperiais no eixo da defesa) a darem a oportunidade Rui Gomes para atirar com relativo perigo por cima da barra defendida por Pedro Silva.

O segundo tempo iniciou-se com nova oportunidade para o V. Guimarães, com José Xavier a surgir isolado na cara do guardião ‘leonino’, que assinou uma excelente intervenção e manteve o nulo no marcador. Os ‘verde e brancos’ responderam com Bruno Paz, de fora da área, a atirar ao lado, após boa jogada colectiva que terminou com o toque de cabeça de Ronaldo Tavares, antes do remate do médio internacional português. José Xavier voltou a ameaçar, mas Pedro Silva encaixou bem o tiro do avançado vimaranense, antes de ver o seu companheiro David Tavares ceder o lugar a Gil Santos. E foi o ‘leão’ recém-entrado quem, aos 62 minutos, deu o pontapé de saída para o golo que viria desbloquear o marcador e oferecer os três preciosos pontos ao Sporting CP: cruzamento de Gil Santos, alívio da defesa vimaranense, e segunda bola ganha por Pedro Ferreira, que assiste Ronaldo Tavares no meio dos centrais, com o avançado ‘leonino’ a bater Filipe Dinis e a fazer o 1-0 para o conjunto de Tiago Fernandes.

O V. Guimarães pouco tinha demonstrado em termos ofensivos, mas, em desvantagem, viu-se obrigado a subir linhas; os ‘leões’, esses, que procuravam a vantagem e finalmente a tinham alcançado, viam-se forçados a por toda a sua garra em campo, defendendo o resultado com unhas e dentes. Os vimaranenses apostavam fortemente no seu corredor direito, com o lateral Cláudio Tavares a subir bem e a ganhar por algumas vezes a linha de fundo, mas com Pedro Silva ou a defensiva ‘leonina’ a resolverem bem as situações. Ronaldo Tavares, num contra-ataque do Sporting CP, ainda recebeu a bola na grande área, mas demorou muito tempo e perdeu a hipótese de rematar, acabando a bola nas mãos de Filipe Dinis.

A dez minutos do final da partida, o V. Guimarães encostou os comandados de Tiago Fernandes ao seu meio-campo defensivo e conseguiram a sua maior chance de chegar ao empate, mas o remate em arco de Hélder Ferreira esbarrou com um estrondo na barra ‘leonina’. Hélder Ferreira voltou a protagonizar nova oportunidade, a última da partida, ao rematar ao lado do alvo, após uma série de ressaltos na grande área ‘verde e branca’. Os ‘leões’ foram capazes de suster as investidas do V. Guimarães até final, com o golo de Ronaldo Tavares a confirmar a vitória do Sporting CP e a subida ao segundo lugar.

“Espero que a equipa cresça com este resultado”

Por Jornal Sporting
27 Fev, 2016

Tiago Fernandes analisa derrota dos juniores com Paços de Ferreira (2-1)

Tiago Fernandes, treinador da equipa de juniores do Sporting CP, acredita que o resultado mais justo para o embate com o Paços de Ferreira teria sido o empate e não a derrota (2-1) que a sua equipa sofreu na 2.ª jornada da fase de apuramento de campeão.

“O resultado justo seria o empate. Não jogámos muito melhor do que o Paços para poder ganhar, mas jogámos para não perder e dispusermos de algumas oportunidades. O Paços só fez dois remates à baliza praticamente, um na primeira parte e outro na segunda, mas nem foram remates perigosos – o Pedro Silva nunca fez nenhuma defesa apertada”, comentou o técnico no final.

“Entrámos mal na partida, dois ou três jogadores estiveram aquém das expectativas e a equipa sentiu isso, sofrendo um golo numa distracção. Na segunda parte melhorámos, rectifiquei ao intervalo e conseguimos ser mais fortes, ter mais bola e mais ocasiões. Fizemos um golo, mas acabou por não ser suficiente, num o jogo que foi também condicionado pelo vento. Mas os jogos vão ser assim e temos de estar preparados para estas adversidades”, acrescentou.

Tiago Fernandes acredita que o resultado de hoje deve ser encarado como uma aprendizagem e que o equilíbrio vai ser nota dominante desta fase até ao final.

“Isto serve para aprendermos e espero que a equipa também cresça com este resultado e dê um novo rumo aos acontecimentos. É importante os jogadores sentirem que não podemos cometer erros, porque nesta fase os adversários aproveitam. Temos de ser mais fortes nos jogos fora de casa, porque vamos apanhar ambientes como o de hoje. O tempo também não ajuda no Norte, está sempre mais vento. São campos difíceis e temos de estar preparados para chegar e dar uma boa resposta, ter mais posse de bola, ser mais pró-activos, mais dinâmicos e mais espertos e inteligentes nas segundas bolas”.

“Disse sempre que vai ser uma fase final pautada pelo equilíbrio e penso que é isso que vai acontecer até ao final. Temos de ganhar os jogos em casa e tentar também conquistar pontos fora para fugirmos, destacarmo-nos do pelotão. É para isso que trabalhamos todas as semanas, para sermos mais fortes e mais rigorosos”, rematou o treinador.

Juniores perdem com Paços de Ferreira

Por Jornal Sporting
27 Fev, 2016

Derrota por 2-1 na 2.ª jornada da fase de apuramento de campeão

A formação de juniores não foi feliz na 2.ª jornada da fase de apuramento de campeão do Campeonato Nacional Sub-19, perdendo na deslocação ao terreno do Paços de Ferreira por 2-1, uma semana depois da vitória por 3-0 sobre o FC Porto no arranque da derradeira fase da prova.

Perante um Paços de Ferreira a baixar as linhas sem bola, para evitar ser surpreendido, e a apostar na velocidade das transições quando a recuperava, o Sporting CP sofreu os dois golos na sequência de dois cantos, algo praticamente inédito na equipa ‘leonina’: aos 15’, Tiago Serralheiro adiantou a equipa local no marcador ao segundo poste, aproveitando a falha de marcação dos ‘verde e brancos’; e já no segundo tempo, aos 48’, Ronaldo Tavares, que tinha apontado os três golos diante do FC Porto, uma semana antes, introduziu a bola na sua própria baliza, fazendo o 2-0. Aos 70’, Guilherme Ramos reduziu de cabeça na cobrança de um livre, mas não evitou a derrota dos ‘leões’, que terminaram a partida com dez jogadores, depois da expulsão de Aya Diouf.

Com este resultado, o Sporting CP ocupa o segundo lugar da classificação, com três pontos (uma vitória e uma derrota), atrás do Paços de Ferreira, que é líder, com quatro.

Páginas

Subscreva RSS - Juniores