Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Foto Volta a Portugal

Joni Brandão melhor português na Volta

Por Jornal Sporting
12 Ago, 2018

Corredor do Sporting CP/Tavira ficou em segundo lugar na classificação individual, atrás do espanhol Raúl Alarcón

A última etapa da Volta a Portugal 2018 teve lugar hoje, em Fafe. Num contra-relógio de 17.3km, o ciclista Joni Brandão foi quarto classificado, a 36 segundos do primeiro lugar, alcançado por Vicente Garcia de Mateos (25.17 minutos), da equipa Aviludo/Louletano.

Com esta classificação, Joni Brandão manteve o segundo lugar na classificação individual, com um tempo total de 41:16,35 horas, a 1.03 minutos do vencedor da 80.ª Volta a Portugal, Raúl Alarcón da W52/FC Porto.

Por equipas, o Sporting/Tavira arrecadou também o segundo lugar, com um registo de 123:59.51 horas, a 1.54 minutos da equipa vencedora, W52/FC Porto.

Joni Brandão e Frederico Figueiredo, do Sporting/Tavira, foram o primeiro e o terceiro melhor português em prova, respectivamente.

Foto Volta a Portugal

Joni até ao último quilómetro

Por Sporting CP
11 Ago, 2018

Chegada ao Monte Farinha deixa o chefe-de-fila leonino a um minuto do líder, à porta do contra-relógio (Fafe) que fecha a 80.ª Volta a Portugal

A equipa de ciclismo do Sporting CP/Tavira continua na liderança colectiva da 80.ª Volta a Portugal, no final da 9.ª e penúltima etapa, que ligou Felgueiras a Mondim de Basto, numa distância de 155,2 kms.

O chefe de fila leonino, Joni Brandão, cortou a meta na 4.ª posição, a nove segundo do vencedor da tirada e camisola amarela, Raúl Alarcón, que terminou com o tempo de 4:22.47 horas.

A formação verde e branca, comandada por Vidal Fitas, partiu para a Senhora da Graça com a consciência da importância do dia que poderia ditar um novo cenário na classificação individual. Ronaldo Nocentini, Alejandro Marque e Frederico Figueiredo acompanharam Joni Brandão sempre junto do grupo do camisola amarela, embora à entrada para a subida ao Monte Farinha o experiente corredor italiano leonino tenha ficado para trás. As despesas da equipa concentraram-se no trio, com alguns ataques por parte de Marque e de Figueiredo, mas sem êxito.

"Trabalhámos para endurecer a corrida ao máximo. Fizemos o que nos competia. A ideia era atacar na parte final, mas o Raúl provou que está muito forte. Com o ritmo que o FC Porto imprimiu na última subida à Senhora da Graça era impossível atacar. Quando assim é, só resta dar os parabéns ao Raúl e ao FC Porto pela Volta que estão a fazer. Quanto a nós, amanhã vou dar tudo o que tenho porque nunca se sabe o que irá acontecer. Reconheço que é difícil recuperar um minuto, mas dou os parabéns à minha equipa pois fizeram tudo para vencer a Volta. Parabéns aos adversários", começou por referir Joni Brandão no final da 9.ª etapa.

Para o contra-relógio individual de amanhã, em Fafe, no fecho da prova rainha do ciclismo nacional, e mesmo com a consciência das dificuldades, o chefe de fila leonino não dá a prova por entregue: "Vou deixar tudo na estrada. Esta foi a etapa mais forte da Volta, acredito que tenha sido bonita de se ver, mas foi muito dura para nós", rematou.

Foto D.R.

Joni Brandão conquistou um prémio de montanha na 8.ª etapa

Por Jornal Sporting
10 Ago, 2018

Corredor do Sporting/Tavira deu por encerrada a corrida desta sexta-feira na terceira posição

Joni Brandão voltou a ser o melhor corredor do Sporting/Tavira na oitava etapa da Volta a Portugal, que decorreu esta sexta-feira e ligou Barcelos a Braga, num percurso de 147,6 quilómetros.

O corredor leonino garantiu a terceira posição, depois de Vicente de Mateos (Aviludo-Louletano), líder, dar por terminada a etapa em 3:40.44 horas.

“Hoje, proporcionou-se, na última montanha, conseguir ir buscar alguns pontos. Não estou aqui para lutar pela camisola da montanha, estou aqui para lutar pela Volta a Portugal. Ficámos quatro corredores na frente da corrida, os quatro primeiros da geral, o que acabou por não dar para fazer diferenças, mas continuamos com tudo em aberto para estas duas últimas etapas”, comentou Joni Brandão.

Destaque, ainda, para o desempenho de Frederico Figueiredo que, com a oitava posição, subiu para o sexto lugar na classificação geral, a 2.20 minutos de Raúl Alarcón, primeiro classificado.

Sem alterações na classificação por equipas, o Sporting/Tavira permanece na liderança da Volta a Portugal.

 
Foto César Santos

Joni Brandão chega em quinto a Viana do Castelo

Por Jornal Sporting
09 Ago, 2018

Corredor do Sporting/Tavira continua na segunda posição da geral, a 52 segundos do camisola amarelo

Joni Brandão completou o percurso da sétima etapa da Volta a Portugal - Montalegre e o Santuário de Santa Luzia, em Viana do Castelo (165,5 quilómetros) - na quinta posição. 

O corredor português voltou a ser o melhor do Sporting/Tavira, desta vez com o tempo de 3:45.02 horas, o mesmo do vencedor, Enrique Sanz (Euskadi Basque Country/Murias). No que à classifacação geral diz respeito, Joni manteve o segundo lugar, a 52 segundos do camisola amarelo, Raúl Alarcón (W52-FC Porto).
 
Esta sexta-feira, o pelotão parte para a oitava etapa, que liga Barcelos a Braga, numa distância de 147.6 quilómetros com quatro prémios de montanha (um de segunda categoria, dois de terceira e um de quarta). 
Foto César Santos

Joni continua na luta

Por Jornal Sporting
08 Ago, 2018

Leões mantiveram liderança por equipas após a sexta etapa da Volta a Portugal, com chegada a Boticas

A Volta a Portugal regressou às estradas esta quarta-feira, após um dia de descanso, para que fosse realizada a sexta etapa, que ligou Sernancelhe a Boticas, num percurso de 165,4 quilómetros. A 20 segundos de Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), primeiro classificado, com o tempo de 4:09.09, Joni Brandão deu a etapa por encerrada na sétima posição, permanecendo em segundo lugar na classificação geral, a 52 segundos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto), com a marca das 29:01.08.

“Este final foi duro. Tentámos endurecer a tirada desde que começou a última contagem de montanha. Atacámos a corrida e quando chegou o meu momento de atacar não consegui fazer a diferença. A subida era dura e fazia muito vento. Um ciclista sozinho não se conseguia isolar, era difícil, mas tentámos. Não conseguimos ganhar tempo, mas também não perdemos. Está tudo em aberto. Ainda há muita coisa que pode acontecer”, afirmou o melhor classificado do Sporting/Tavira.

Destaque, ainda, para o décimo lugar conquistado por Alejandro Marque, com a mesma marca do companheiro de equipa, Joni Brandão.

A quatro etapas de dar por terminada a 80.ª Volta a Portugal, em Fafe, os leões seguem líderes, por equipas, com uma vantagem de 2.45 minutos da W52-FC Porto, segunda classificada e, ainda, com a presença de três corredores (Joni Brandão, Frederico Figueiredo e Alejandro Marque) entre os 10 melhores da classificação geral.

Foto César Santos

Alejandro Marque foi nono na 5.ª etapa da Volta a Portugal

Por Jornal Sporting
06 Ago, 2018

Corredor do Sporting/Tavira terminou percurso entre Sabugal e Viseu com o tempo de 5:01.45 horas

Alejandro Marque foi o melhor corredor do Sporting/Tavira na quinta etapa da 80.ª Volta a Portugal, que decorreu esta segunda-feira e ligou o Sabugal a Viseu, num percurso de 191,7 quilómetros.

Na nona posição, o espanhol terminou o percurso com o mesmo tempo do que Riccardo Stacchiotti (Mstina Focus), primeiro classificado: 5:01.45 horas.

O dia de amanhã está destinado ao descanso de todos os corredores, na cidade de Viseu, até rumarem, na quarta-feira, de Sernancelhe a Boticas, num percurso de 165,4 quilómetros.

Foto César Santos

“Vou dar o máximo de mim e não vou baixar os braços”

Por Jornal Sporting
05 Ago, 2018

Joni Brandão mostrou-se confiante para as próximas etapas

A 12 segundos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto), primeiro classificado, Joni Brandão, corredor do Sporting/Tavira, deu por encerrada a quarta etapa da Volta a Portugal, que ligou a Guarda à Covilhã (Penhas da Saúde), na segunda posição.

Apesar de ainda não ter alcançado a tão desejada camisola amarela, Joni Brandão mostrou-se confiante para as próximas etapas. “Raúl Alarcón é o líder e o corredor mais forte da prova, mas vamos continuar com o objectivo de vencer a Volta a Portugal. Hoje já me senti melhor. Espero sentir-me melhor a cada dia que passa. Vou dar o máximo de mim e não vou baixar os braços”, assegurou o português.

Com a quarta prova superada, o corredor do Sporting/Tavira olha, agora, para a quinta etapa. “Saí no momento certo. Se pudesse voltar atrás não mudava nada. Resta-me mais etapas para tentar ganhar tempo. Neste momento, luto pela Volta a Portugal, não por ser o melhor português. Ainda muita coisa pode acontecer…”, terminou.

Foto D.R.

Joni Brandão foi segundo na 4.ª etapa da Volta a Portugal

Por Jornal Sporting
05 Ago, 2018

Corredor do Sporting/Tavira terminou a corrida a 12 segundos de Raúl Alarcón

Joni Brandão voltou a ser o melhor corredor do Sporting/Tavira na quarta etapa da 80.ª Volta a Portugal, que decorreu este domingo e ligou a Guarda à Covilhã (Penhas da Saúde), num percurso de 144,3 quilómetros.

Na segunda posição, Joni Brandão ficou a apenas 12 segundos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto), depois do camisola amarela dar por terminada a etapa em 4:02.19 horas. Salientar que, até ao quarto quilómetro, o português seguia na liderança da corrida.

Destaque, ainda, para o desempenho de Frederico Figueiredo, que deu a prova por encerrada na quarta posição, a 1,13 minutos do primeiro classificado.

Os leões voltam a entrar em acção amanhã para disputarem a quinta etapa da prova, que vai ligar o Sabugal a Viseu

Foto César Santos

"Se calhar, convém a algumas equipas abdicar-se da Torre"

Por Jornal Sporting
04 Ago, 2018

Joni Brandão mostrou-se crítico perante a decisão de a etapa de amanhã não contar com a subida à Torre

Joni Brandão, do Sporting/Tavira, foi terceiro na etapa deste sábado, que terminou em Oliveira do Hospital, e mostrou-se bastante crítico acerca da decisão de a 4.ª etapa (domingo, 5 de Agosto) não contar com a célebre subida à Torre.

"Isso é uma coisa que não entendo. Se calhar, amanhã também não vou estar à partida nesta Volta a Portugal. Tivemos três dias em que corremos debaixo do calor, depois, quando se chega à etapa mais dura da Volta, abdica-se da Torre. Não sei porquê. Se calhar, havia algumas equipas que já estavam informadas e nós ouvimos isso durante a etapa. De facto, não entendo porque não se faz a subida à Torre. Talvez convenha a algumas equipas. Era de nos juntarmos todos e ou se faz ou não se faz", disse o português, que reforçou as difíceis condições climatéricas com as quais têm lidado ao longo da prova.
 
"Ainda hoje esteve um calor que não se aguentava e tivemos de fazer a etapa toda. Por que é que não fazemos a etapa toda amanhã? Por que é vai haver uma excepção amanhã? Para haver uma excepção tinha de haver na Volta toda. Existe sempre alguma coisa na manga", continuou, abordando, ainda, aquele que não considerou ser um ataque de Raúl Alarcón, novo camisola amarela. 
 
"O Raúl Alarcón não atacou. Eu abri para o lado quando íamos a puxar para descer, numa curva algo perigosa, e o Alarcón passou para a frente, enquanto o Edgar [Pinto] travou não sei porquê e deixou de puxar naquele momento em que era para seguir o Alarcón. Não se percebe o porquê de haver estas coisas no ciclismo. Os espanhóis estão a lutar por vencer a Volta a Portugal e os portugueses lutam para ser o melhor português", lançou.
 
Além da terceira posição na etapa de hoje, Joni Brandão ocupa também o terceiro posto na classificação geral.
Foto César Santos

Joni Brandão foi terceiro na etapa deste sábado da Volta a Portugal

Por Jornal Sporting
04 Ago, 2018

Corredor do Sporting/Tavira terminou o percurso entre a Sertã e Oliveira do Hospital a 42 segundos de Raúl Alarcón

Joni Brandão foi o melhor corredor do Sporting/Tavira na terceira etapa da Volta a Portugal, que decorreu este sábado e ligou a Sertã a Oliveira do Hospital, num percurso de 177,8 quilómetros. 

Na terceira posição, o português ficou a 42 segundos de Raúl Alarcón (W52-FC Porto), depois do novo camisola amarela da 80.ª edição da prova ter completado o trajecto em 4:43,00 horas. Vicente de Mateos (Aviludo-Louletano) terminou em segundo (a 30 segundos).
 
De referir, também, que a quarta etapa (domingo, 5 de Agosto) não vai contar com a subida à Torre, devido ao intenso calor que se tem sentido em todo o País. Aliás, Mario González, do Sporting/Tavira, viu-se mesmo obrigado a abandonar a corrida devido a limitações físicas.
 
Esta foi uma etapa especial - à qual se deu o nome de etapa Vida -, visto que teve como objectivo homenagear as vítimas dos incêndios de 2017.

Páginas

Subscreva RSS - Ciclismo