Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Rui Pedro Costa: "Temos de ser tacticamente mais inteligentes"

Por Sporting CP
06 Abr, 2024

Leoas recebem o FC Porto este domingo (15h00)

A equipa principal feminina de voleibol do Sporting Clube de Portugal joga, este domingo, em casa frente ao FC Porto o jogo dois das meias-finais do Campeonato Nacional.

No primeiro encontro, a formação azul e branca levou a melhor em casa, mas Rui Pedro Costa acredita que, no Pavilhão João Rocha, as Leoas conseguirão vencer e igualar e eliminatória.

“Apesar dessa derrota, e de haver coisas a melhorar, dá confiança à equipa saber que, quando cumprimos o nosso plano e quando servimos de forma agressiva, conseguimos estar mais perto de ganhar a uma equipa que tem muitos argumentos”, começou por dizer o técnico verde e branco na antevisão ao jogo, referindo, por isso, que a equipa Leonina tem de seguir o plano de jogo para vencer: “Sabemos o que temos de fazer e que o FC Porto, em princípio, usará mais ou menos as mesmas soluções tácticas do último jogo. Por isso, temos de ser tacticamente um pouco mais inteligentes do que fomos no primeiro jogo”.

“Cometemos alguns erros não forçados na transição e é, sobretudo, aí que temos de melhorar um pouco”, referiu ainda Rui Pedro Costa, dizendo que a ajuda dos Sportinguistas também fará a diferença neste jogo: “Eles têm sido muito importantes para nós. Têm-nos apoiado muito e já houve jogos em nossa casa em que conseguimos virar o resultado e ganhar por causa do apoio deles. Por isso, como sempre, faço-lhes o apelo para que compareçam mais uma vez. Nós tentaremos estar à altura deles e da história do Sporting CP”.

Foto João Pedro Morais

Kelton Tavares: "Leixões SC está nesta fase por mérito próprio"

Por Sporting CP
05 Abr, 2024

Segundo jogo das meias-finais joga-se em casa do avdersário

Depois do triunfo caseiro no primeiro jogo, a equipa principal masculina de voleibol do Sporting Clube de Portugal volta a medir forças diante do Leixões SC, agora no segundo jogo das meias-finais da Liga e desta vez no reduto adversário.

Kelton Tavares acredita em novo triunfo verde e branco, estando ciente das dificuldades que os Leões vão encontrar.

“No primeiro jogo, para ser sincero, não entrámos bem, mas depois conseguimos recuperar. Começámos a servir melhor e com isso conseguimos criar ainda mais dificuldades ao adversário, conseguindo depois controlar o jogo até ao final. Por isso, estamos confiantes e a equipa preparou-se para mais uma vitória. Foi uma semana de trabalho muito intensa para preparar mais este jogo e os que se seguem”, começou por dizer o jogador Leonino, deixando elogios ao Leixões SC: “É uma equipa muito lutadora, que defende muito e jogando em casa, com o apoio do seu público, sabemos que nos vai criar ainda mais dificuldades”.

“Seja como for, estamos preparados para qualquer eventualidade, para dar tudo e dar luta até ao final ao jogo. Acreditamos, obviamente, que podemos vencer num ambiente difícil e com isso estarmos mais perto de resolver a eliminatória mais cedo. Ainda assim, sabemos que é à melhor de cinco e que tudo pode acontecer diante de uma equipa que está nesta fase por mérito próprio. Nesse sentido, não podemos desvalorizar o adversário e temos de estar cientes de que tudo pode acontecer nestes jogos a eliminar”, disse ainda Kelton Tavares.

Foto João Pedro Morais

Passo em falso a abrir meias-finais dos play-offs

Por Sporting CP
30 Mar, 2024

Leoas do voleibol derrotadas no Dragão Arena (3-0)

A equipa principal feminina de voleibol do Sporting Clube de Portugal visitou o FC Porto e perdeu por 3-0, este sábado, no primeiro jogo das meias-finais dos play-offs da Liga, que serão decididas à melhor de cinco encontros.

O equilíbrio foi muito a abrir (6-6 e 8-8), mas assim que a formação da casa deu um ‘esticão’ no marcador (17-11) encaminhou o desfecho do set inaugural. As aguerridas Leoas de Rui Pedro Costa ainda esboçaram uma reacção em busca de reentrar na discussão (21-15), mas sem sucesso para impedir o 25-17 final.

Ainda assim, o Sporting CP começou por mostrar outra cara logo no início do parcial seguinte, com a potência da oposta Liza Kastrup - sempre a mais perigosa - e um bloco de Jady Gerotto a lançarem as Leoas para as lideranças iniciais (7-9).

Depois, numa fase de parada e reposta, seguiu-se um parcial de 4-0 das azuis e brancas (11-9) e uma resposta Leonina equivalente (12-13) que mantiveram as contas baralhadas, mas voltaria a ser o FC Porto a sair melhor do ‘braço de ferro’, distanciando-se rapidamente num momento crucial (18-13). Aqui, deu-se o momento de viragem no set e a turma de Alvalade já não conseguiu travar o ímpeto rival que chegou ao 2-0 graças ao 25-16.

Foi já sem margem de erro que o Sporting CP partiu para o terceiro set, onde até voltou a começar melhor, fixando mesmo uma vantagem de três pontos (2-5), através de um sólido bloco de Amanda Cavalcanti. No entanto, com o serviço azul e branco a dificultar a tarefa Leonina, regressou a toada de empates sucessivos ao resultado, que se prolongaram desde o 5-5 até ao 14-14.

Desta vez, mesmo que em ligeira desvantagem (19-17), as Leoas conseguiram manter-se dentro do jogo fruto da sua rigorosa capacidade defensiva, com melhorias na recepção e também no ataque – agora mais castigador.

Na fase decisiva, a turma de Alvalade até conseguiu duas aproximações importantes, aos 22-21 e aos 23-22, porém não conseguiria ir mais além, sucumbindo de forma infeliz por 25-22.

Com as Leoas em desvantagem e à procura de uma resposta, a discussão entre Sporting CP e FC Porto segue, no próximo fim-de-semana, para o Pavilhão João Rocha.

Sporting CP: Vanessa Paquete, Amanda Cavalcanti (4), Liza Kastrup (13), Thaís Bruzza (3), Moara Santos (1), Ozge Kinasts (2), Thuany Bardin (2), Lauren Bevan-Matias (3), Jady Gerotto (9), Aline Timm, Carolina Garcez [L], Daniela Loureiro [L] [C], Beatriz Rodrigues

Foto Isabel Silva

João Coelho: "Objectivo foi alcançado"

Por Sporting CP
30 Mar, 2024

Técnico salientou que o foco da equipa está "jogo a jogo"

Após a vitória inaugural na série à melhor de cinco jogos nas meias-finais dos play-offs da Liga (3-1), João Coelho, treinador dos Leões do voleibol, analisou o jogo bem conseguido diante do Leixões SC.

“É sempre importante começar a vencer, sobretudo em casa. Vínhamos de um fim-de-semana espectacular, a equipa portou-se muito bem e o objectivo foi alcançado”, começou por destacar, antes de ‘dissecar’ o desenrolar dos sets.

“A equipa mostrou o que tem feito durante todo o ano. O primeiro set não foi tão bem conseguido e o Leixões SC foi perfeito, mas nós não acusámos isso. Mantivemos a postura e a identidade e o jogo não foi fácil, mas fomos fiéis a nós próprios. Estamos a fazer uma época excelente e que pode ser ainda melhor”, apontou o técnico verde e branco, garantindo que o foco da equipa está “jogo a jogo”.

“Um adversário como o Leixões SC dá sempre muito trabalho. Hoje o nosso serviço foi entrando melhor com o passar do jogo”, considerou, antes de admitir, por fim, que espera “outra batalha em Matosinhos”, mas a missão é clara: “Trazer a vitória”.

Martin Licek, voleibolista dos Leões, também analisou o início com o pé direito nos play-offs. “Não estivemos tão bem no toque no primeiro set, mas depois melhorámos e conseguimos a vitória”, analisou, olhando com confiança para o que se segue.

“Todas as vitórias são importantes e este foi o nosso primeiro passo. Agora temos de ir a Matosinhos e, depois, regressar a casa”, traçou o reforço Leonino.

Foto Isabel Silva

Reviravolta e vantagem verde e branca nos play-offs

Por Sporting CP
30 Mar, 2024

Sporting CP venceu com personalidade o primeiro jogo das ‘meias’ (3-1)

A equipa masculina de voleibol do Sporting Clube de Portugal recebeu e venceu o Leixões SC por 3-1, este sábado, no arranque das meias-finais dos play-offs da Liga, que serão decididas à melhor de cinco jogos. No plano individual, Jan Galabov e Lucas Vanberkel, ambos com 14 pontos, estiveram em destaque.

Depois da conquista da Taça de Portugal, os Leões deram continuidade ao seu bom momento - 11 vitórias consecutivas – e, em casa, entraram da melhor forma na fase de todas as decisões. Para isso, tiveram de superar uma entrada em falso num primeiro set muito trabalhoso (24-26), dando uma resposta plena de personalidade para fazer a ‘cambalhota’ no resultado (25-15, 25-20, 25-13).

Com Gil Meireles, Jan Galabov, Lucas Vanberkel, Martin Licek, Wagner Silva e Chema Carrasco de início, a turma de Alvalade assumiu cedo a liderança (4-2) e estreou com sucesso a possibilidade de video-challenge, que está para ficar depois de testado na Taça de Portugal. Contudo, o Leixões SC nunca se deixou ficar e, além de ter baralhando as contas (9-10), conseguiu mesmo distanciar-se no marcador (11-13 e 12-16).

João Coelho foi mexendo na equipa para recuperar da desvantagem e com Tiago Barth e Kevin Kobrine - no ataque - e o líbero Gonçalo Sousa - na defesa - em evidência, a equipa verde e branca cresceu e chegou-se ao empate a 18.

De seguida, Vanberkel e Galabov fizeram a diferença e ainda reaveriam a frente do marcador para o Sporting CP numa fase decisiva, mas uma rápida e eficaz réplica visitante transformou o 22-20 em 22-23. Este trabalhoso primeiro set foi discutido até ao fim e acabaria por sorrir ao Leixões por 24-26, obrigando os Leões a correr atrás do jogo desde o início.

Apesar disso, a necessária resposta verde e branca seria tão rápida como eficaz – bom nível no serviço - e ‘cavou’ uma margem sólida logo no início do segundo set (9-2), a qual conseguiria alargar até aos 15-7. Assim, de forma confortável, o Sporting CP entrou na recta final do parcial com uma ‘almofada’ – já inalcançável - de oito pontos (20-12) e, sem erros, fechou as contas em 25-15 para devolver o empate ao duelo.

Mais equilibrado voltaria a ser o set seguinte, com as duas formações sempre a par e passo no marcador (11-9), com empates sucessivos (16-16) e trocas constantes de lideranças, sempre por margens mínimas, até que os Leões deram um ‘murro na mesa’.

Um parcial sem resposta de 4-0 criou a primeira diferença significativa no marcador (20-16) e os comandados por João Coelho não a desperdiçaram, chegando ao 25-20 graças à ajuda do video-challenge.

Feita a reviravolta, plena de personalidade, o Sporting CP ficou em posição privilegiada para fechar a partida e cumprir a ‘tradição’ desta época frente à equipa de Matosinhos: quarto jogo frente ao Leixões e quarta vitória Leonina por 3-1 – e assim foi.

Com solidez no bloco, começaram a construir uma nova vantagem (7-3), depois dilatada de forma implacável (13-6) – Licek, forte no serviço, assinou um parcial de 4-0 nesta fase. Daqui em diante, cada vez com mais dificuldades, o aguerrido conjunto do Leixões SC foi ficando sem argumentos para contrariar o ímpeto verde e branco (17-9). Assim, de forma segura, a turma de Alvalade continuou com o ‘pé no acelerador’ até ao triunfo: Wagner Silva fez o 24-11 desde a linha de serviço e, pouco depois, um erro visitante ditou o expressivo 25-13 final.

Com os Leões de João Coelho em vantagem, a meia-final passa, no próximo fim-de-semana, para Matosinhos, onde será disputado o segundo jogo.

Sporting CP: Tiago Pereira [C], Jan Galabov (14), Kevin Kobrine (1), Vinícius Lersch, Kelton Tavares, Gonçalo Sousa [L], Lucas Vanberkel (14), Martin Licek (12), Wagner Silva (13), Gil Meireles, Tiago Barth (11), Imanol Tombión, Armando Velásquez, Chema Carrasco

Foto João Pedro Morais

Rui Pedro Costa: "Temos de lutar muito"

Por Sporting CP
29 Mar, 2024

Leoas iniciam meia-final da Liga com clássico frente ao FC Porto

A equipa feminina de voleibol do Sporting Clube de Portugal desloca-se a casa do FC Porto, este sábado (18h00), para disputar o primeiro jogo das meias-finais do play-off da Liga, que serão decididas à melhor de cinco encontros.

Na antevisão à partida, o técnico Rui Pedro Costa reconheceu que a temporada entra agora na fase de todas as decisões e o espaço de manobra diminui, mas a equipa está motivada.

“Agora é a eliminar e é um campeonato diferente porque jogamos todas as semanas com a mesma equipa, pelo menos três vezes seguidas. O play-off era onde queríamos chegar e acaba por ser uma competição nova. Estamos dentro dos objectivos que queríamos atingir, mas é um desafio diferente do resto da época”, começou por dizer aos meios de comunicação do Clube, antes de fazer um raio-x ao FC Porto, uma equipa de grande valia.

“Espera-nos o Tricampeão Nacional. É uma equipa com muitos argumentos, fisicamente muito forte, ofensivamente muito capaz e com muitas soluções. Perdeu a sua distribuidora, mas trouxe outra da selecção canadiana, que tem estado ao mais alto nível nos últimos anos”, frisou o técnico, que não tem dúvidas quanto ao que será preciso fazer para vencer o jogo.

“Temos de servir muito bem e tentar tirar o FC Porto do seu sistema, ainda que seja a equipa do campeonato com mais capacidade de pontuar fora do seu sistema. Temos de acreditar nas nossas armas e capacidade defensiva, além de ser muito rigorosos na relação entre o bloco e a defesa, todo o nosso K2 será fundamental para ganhar o jogo. Depois é lidar com o serviço forte do adversário e ter a nossa equipa mais tempo em sistema. É um jogo em que temos de ser muito rigorosos, qualquer coisa que entreguemos provavelmente dará ponto para o FC Porto. Temos de ser inteligentes, mas acima de tudo temos de lutar muito”.

Rui Pedro Costa abordou depois o facto de esta eliminatória começar no Dragão Arena.

“Já sabíamos que teríamos de lidar com isso, mas o facto de, pelo menos este ano, a Federação ter decidido que os jogos alternam entre casa e fora, permite-nos jogar logo o segundo jogo no Pavilhão João Rocha, o que é uma vantagem. Isto, apesar de, na última vez termos jogado bastante bem lá. Às vezes, jogar em casa ou fora depende mais da nossa capacidade”.

Foto João Pedro Morais

João Coelho: "Temos de jogar nos limites"

Por Sporting CP
29 Mar, 2024

Meias-finais do play-off da Liga arrancam este sábado contra o Leixões SC

A equipa masculina de voleibol do Sporting Clube de Portugal tem encontro marcado com o Leixões SC, este sábado (15h00), no arranque das meias-finais do play-off da Liga, que serão decididas à melhor de cinco jogos.

Na antevisão ao duelo, o técnico João Coelho elogiou o momento da equipa, que no último fim-de-semana conquistou a Taça de Portugal, e mostrou-se confiante para o que aí vem.

“Das duas principais provas nacionais, uma já acabou com uma conquista. Conto que haja uma maior libertação dos atletas, que poderão agora exprimir-se sem inibições”, disse o técnico, considerando o Leixões SC “uma equipa que tradicionalmente causa muitos problemas”.

“Nunca tivemos um jogo descansado contra eles esta época, apesar de termos conseguido sempre resolver porque sabíamos o que íamos encontrar e o que seria necessário para contornar as dificuldades. Ainda assim, é uma equipa que nos merece máximo respeito porque é bem organizada, defende muito, tem boa dimensão física, bons atacantes e um serviço com algum peso e contundência. Temos de tentar minorar esses pontos positivos e impor o nosso jogo, que foi o que fizemos ao longo da época”, referiu, indicando a receita.

“Temos de jogar nos limites, do primeiro ao último ponto, e temos de fazer prevalecer os nossos pontos mais fortes. Temos de conseguir jogar pelo meio, ter boa recepção e fazer descolar a recepção do Leixões SC, para lhe retirar o corredor central. Temos de defender mais do que eles e impormo-nos à melhor de cinco jogos, mas a começar já este sábado”.

João Coelho fez também uma análise ao trabalho que a equipa tem feito durante a época.

“Das quatro equipas [que estão no play-off], talvez sejamos a que mantém uma trajectória ascendente contínua até ao dia de hoje e queremos dar continuidade a isso. Temos de capitalizar o momento para criar uma dinâmica de finais, play-offs e decisões, com uma conquista já na bagagem. A Taça de Portugal foi uma experiência fundamental, uma conquista duríssima que nos deu um gozo tremendo de alcançar, também pela dificuldade com que o fizemos. Temos de conseguir continuar a afirmarmo-nos”, frisou, enumerando as características que distinguem os Leões dos três adversários presentes neste play-off.

“Temos provavelmente o melhor serviço do campeonato e temos de colocá-lo em campo. Não só por ser contundente, mas porque cria muitas dificuldades com pouco erro. Somos muito fortes também no bloco, a relação serviço-bloco-defesa pode fazer diferença ao não ficarmos perdidos em jogos com equipas que também são muito voluntariosas e têm bons atacantes”, explicou, convidando os adeptos a apoiarem a equipa no Pavilhão João Rocha.

“Temos um factor casa para aproveitar nesta meia-final. Quero apelar ao público para que se junte a nós, os adeptos serão fundamentais e podem fazer diferença no final de época”.

Foto José Lorvão

Equipa de voleibol entregou Taça de Portugal ao Museu Sporting

Por Sporting CP
28 Mar, 2024

Momento juntou plantel, equipa técnica e o presidente Frederico Varandas

A quinta Taça de Portugal do palmarés, conquistada no passado fim-de-semana, em Viana do Castelo, já está no Museu Sporting. A equipa masculina de voleibol do Sporting Clube de Portugal entregou, esta quinta-feira, o troféu, num momento que contou com a presença do presidente Frederico Varandas e de Miguel Afonso, membro do Conselho Directivo.

Três anos depois da última conquista, então também uma Taça de Portugal (2020/2021), o plantel e a equipa técnica dos Leões do voleibol voltaram à sala de troféus do Clube “pela melhor das razões”, começou por destacar o treinador João Coelho.

“No início da época, com todo o plantel completo, fizemos uma visita e definimos como prioritário para esta época voltar aqui com um contributo e adicionar humildemente mais uma competição. É uma sensação excepcional e de dever cumprido. Quem está no Sporting CP arrisca-se a isso mesmo”, sublinhou aos meios de comunicação do Clube, considerando ainda que “a forma épica” como foi vencida a Taça de Portugal mostra que o grupo está “no caminho certo”.

Além disso, o técnico verde e branco destacou que a sensação “ainda se torna melhor” por anteceder um desafio imediato e “ainda maior”: os play-offs da Liga, que para o conjunto verde e branco começam este sábado, em casa.

“Queremos muito atingir a final, um passo de cada vez. A equipa está a trabalhar bem, não anda ‘nas nuvens’ e há um adversário a respeitar, o Leixões SC. Queremos abordar a meia-final para ganhar de forma convincente”, apontou João Coelho.

Também o capitão Tiago Pereira começou por enaltecer o simbolismo do momento, já depois de, em conjunto com o presidente Frederico Varandas, ter colocado o troféu no expositor do museu dedicado à modalidade.

“Hoje estamos todos aqui a contribuir um bocadinho para a História do Sporting CP e é um motivo de grande orgulho”, referiu zona 4 dos Leões, realçando também que “o trabalho não fica concluído”.

“Ainda há troféus para ganhar esta época e esta equipa vai lutar até ao fim”, garantiu Tiago Pereira com a mira na fase de todas as decisões da Liga.

“Tivemos direito a festejar durante um dia. Depois voltámos aos treinos para preparar o primeiro jogo com o Leixões SC. A conquista deste troféu dá mais ânimo para o que falta da época, mas esta equipa tem demonstrado que trabalha sempre da mesma forma”, disse o voleibolista de 32 anos, sem esconder que a grande meta da equipa é sempre “encher este museu de conquistas”.

Foto João Pedro Morais

João Coelho: "Foi uma vitória importantíssima"

Por Sporting CP
24 Mar, 2024

Reacções Leoninas após a conquista da Taça de Portugal de voleibol

João Coelho mostrou-se naturalmente satisfeito e orgulhoso com a conquista da Taça de Portugal. Após o final da partida, o treinador verde e branco falou numa “vitória importantíssima” e agradeceu aos Sportinguistas o apoio em Viana do Castelo.

“Conseguimos uma entrada como desejávamos, mas não mantivemos esses níveis. Perdemos muitas bolas fáceis, o que não nos permitiu controlar o jogo, e com isso o adversário sentiu-se dentro da partida, quando empatou a um set, e acreditou. Depois, na ‘negra’ tivemos de jogar ao ponto. Fomos felizes e merecemos, mas temos feito muito por isso”, começou por dizer o técnico Leonino, referindo: “Era muito importante para o nosso projecto começar a ganhar e a dobrar estas dificuldades. Foi uma vitória importantíssima”.

“Vivemos numa sociedade que se traduz em resultados e sabíamos que não podíamos deixar para longo prazo o que podia ser feito já. Para isso também precisávamos dos adeptos connosco e hoje eles foram extraordinários. Por isso, quero agradecer-lhes. Nós queremos sempre mais, queremos sempre jogar melhor e também queremos que os Sportinguistas acreditem em nós e que sejam cada vez mais a acreditar em nós porque nós acreditamos muito e vamos fazê-lo já na meia-final da Liga”, disse ainda João Coelho.

Afonso Seixas (coordenador do voleibol do Sporting CP)
“Primeiro que tudo, quero agradecer a toda a gente que esteve aqui connosco. Foram muito importantes nesta fase final, num jogo muito difícil e muito complicado. Esta vitória é de todos os Sportinguistas, de toda a gente que aqui veio. Este grupo é novo e o segredo é a humildade, que caracteriza o ADN do Sporting CP, mas também o foco no compromisso. O grupo tem isso tudo. A humildade e a felicidade com que se trabalha diariamente são os segredos do sucesso”.

Renato Miguelho (secretário-técnico da equipa Leonina)
“Esta conquista foi o reflexo dos sete meses de trabalho desta temporada e dos três meses de trabalho, entre Maio e Julho, da época anterior. As escolhas do João Coelho foram muito criteriosas e recaíram muito na maneira de ser dos jogadores. Isso está aqui reflectido e a nós só nos coube transmitir o que é o Sporting CP. O resto, eles [jogadores] fizeram e fazem. Quero também agradecer aos adeptos. Foi fantástico o apoio que tivemos aqui”.

Tiago Pereira (capitão)
“Estou muito feliz. Finalmente conquistei um título para este clube que tanto ano. Esta equipa é incrível pelo trabalho, dedicação e entrega desde Agosto. Tivemos aqui adeptos incríveis, estamos feliz e agora queremos o campeonato”.

Tiago Barth
“É uma emoção muito grande, amo este clube. Apaixonei-me pelo Sporting CP e vou carregar este clube para o resto da vida. Os meus filhos são Sportinguistas, choraram e vibraram como todos os adeptos aqui hoje. Foi uma emoção muito grande”.

Armando Velásquez
“Tivemos um adversário muito digno, mas fomos melhores. Obrigado aos nossos adeptos por nos terem vindo apoiar. Queríamos ter ganhado o mais rápido possível, porque o cansaço e a fadiga de meia-final de ontem também pesavam, mas acabámos por conseguir o resultado que queríamos. Isto é para o Sporting CP”.

Lucas Vanberkel
“Foi incrível. O nosso objectivo no início da época era ganhar títulos e um já conseguimos. Estamos muito entusiasmados, com a sensação de trabalho feito e agora vamos celebrar um pouco para depois voltarmos ao campeonato”.

Kelton Tavares
“Perseguíamos este título há três anos, mas, como se diz, à terceira foi de vez. Desta vez conseguimos. É um sentimento que não se explica. É o resultado de muito trabalho durante toda a época. Nesta final mostrámos muita paciência, lutámos, corremos atrás, conseguimos gerir e agora é só festejar”.

Vinícius Lersch
“É o meu primeiro troféu no Sporting CP. Desde o início que fiquei muito contente por fazer parte deste grupo, que é um grupo muito trabalhador, muito profissional e acho que este é o resultado do trabalho que estamos a fazer desde o início da época. Temos vindo a sentir que o grupo tem ganhado maturidade, provámo-lo nos dois últimos fins-de-semana e hoje tínhamos de saber ganhar esta final, que era o mais importante e merecíamos. Os nossos adeptos também fizeram toda a diferença. Se não tivéssemos tantas pessoas a apoiar-nos, talvez fosse um resultado diferente. Por isso, agradeço a todos por termos conseguido este título para o Sporting CP”.

Kevin Kobrine
“O jogo foi incrível, não tenho palavras. O grande objectivo era ganhar e conseguimo-lo. Todos nós, treinadores e jogadores, temos trabalhado muito e mostrado um grande esforço e uma grande dedicação. Muito obrigado, também aos nossos adeptos”.

Gonçalo Sousa
“Disse que na teoria eramos favoritos, mas o favoritismo não ganha jogos e foi isso que se viu hoje. Tivemos de lutar muito e de dar o nosso melhor para ganhar a esta grande equipa da AJ Fonte do Bastardo, que nos criou muitas dificuldades. Estávamos à espera, preparámo-nos para isso e ainda bem que correu assim e bem. Ganhámos, mas é preciso realçar que foi preciso muito trabalho e muito esforço para conseguir este título, que para nós significa muito. Estamos todos de parabéns e agora é aproveita este dia, que vai ficar na história. Somos uma equipa muito unida, um grande grupo, que está aqui todo para o mesmo, com o objectivo de ganhar pelo Sporting CP. O espírito de grupo claro que ajuda e vamos fazer para que continue”.

Jan Galabov
“É absolutamente incrível. Estou muito contente por termos conseguido este título, mas foi um jogo muito duro. O staff é quem mais o merece porque trabalha muito e esse trabalho é inivisivel - fisioterapeutas, terapeutas, analista de vídeo, etc. Esta conquista foi o resultado de um grande trabalho de equipa e estou muito feliz por também termos proporcionado este momento aos adeptos do Sporting CP”.

Foto João Pedro Morais

A Taça de Portugal é nossa!!

Por Sporting CP
24 Mar, 2024

Sporting CP venceu a AJ Fonte do Bastardo e conquistou o troféu pela quinta vez

A equipa principal masculina de voleibol do Sporting Clube de Portugal conquistou, este domingo, a Taça de Portugal - 5.ª do historial -, após vencer a AJ Fonte do Bastardo por 3-2 na final realizada em Viana do Castelo.

A formação Leonina orientada por João Coelho teve um excelente início de primeiro parcial, com um 6-1 logo a abrir. Nas pontas ou no centro da rede, no remate ou no bloco, a equipa verde e branca começou a fazer a diferença e Wagner Silva fez dois pontos consecutivos, um num excelente remate na diagonal e outro num bloco perfeito, a anteceder o primeiro desconto de tempo, pedido por Nuno Abrantes, técnico da AJ Fonte do Bastardo.

Com excelentes execuções no remate de Licek, Wagner Silva e Galabov da segunda linha, o Sporting CP ganhou uma vantagem de 9-2, que confirmava uma entrada quase perfeita da formação verde e branca no jogo, bem apoiada por uma numerosa falange de adeptos Leoninos no Centro de Congressos de Viana do Castelo.

A AJ Fonte do Bastardo ainda reduziu para 9-4, mas o Sporting CP foi controlando o marcador, com Wagner Silva muito eficiente na entrada da rede e a armar poderosos remates com o braço esquerdo.  

Com 12-6 a equipa verde e branca dobrava a marcação da equipa da ilha Terceira, que teve uma boa reacção, mas sem antídoto entre outros momentos para os ataques de segunda linha de Jan Galabov, como no 15-10. Aos 17-10, o treinador do AJ Fonte do Bastardo pediu a segunda pausa técnica e com o Sporting CP já muito bem lançado, o set fecharia nos 25-16, com uma tremenda eficácia de Wagner Silva e Jan Galabov, depois de vantagens de 19-11 e 21-12. O último ponto do Sporting CP no set inicial foi assinado por Martin Licek, que ganhou ao bloco dos açorianos.

No segundo set, a AJ Fonte do Bastardo entrou muito determinada e inspirada no bloco, meio pelo qual conseguiu dois pontos consecutivos para um 0-4 inicial. Este início de set, que não começou bem para os Leões, obrigou a equipa verde e branca a ter de ‘correr atrás’ com Wagner Silva a conseguir um bloco importante para o 5-3 e depois a conseguir um remate com sucesso para o 5-4. Um remate para fora deu o 5-5 ao Sporting CP, com tudo empatado e mais um desconto de tempo pedido pela AJ Fonte do Bastardo.

Regressados dessa pausa, Vanberkel conseguiu um serviço directo, mas três erros do Sporting CP deram três pontos de vantagem à formação insular (7-10) e posteriormente o 7-11, para um tempo pedido por João Coelho. Com 7-12, a situação já ficava difícil para a equipa Leonina, com Jose González em grande evidência no serviço da equipa do Açores.

Dois pontos consecutivos do Sporting CP, através de blocos, abriram a luta pelo set, mas acabaria por ser a equipa açoriana a administrar bem as diferenças conseguidas e a fechar o set nos 20-25.

No terceiro parcial, Jan Galabov conquistou o primeiro ponto para o Sporting CP e um remate para fora da AJ Fonte deu o 2-0, seguido do 3-0, num toque fácil de Vanberkel.

A AJ Fonte reagiu até aos 6-5, novamente com González bem no serviço, e nesta fase voltaram a aparecer os excelentes remates de Wagner Silva e Jan Galabov, com um bom bloco de Wagner Silva e Lucas Vanberkel para o 12-10.

As sucessivas igualdades desfizeram-se aos 14-16, antes de um desconto de tempo do Sporting CP. Os Leões regressaram bem, com um ás de Martin Licek. Galabov somou depois pontos consecutivos no remate e as igualdades persistiram, com o Sporting CP a somar uma pequena vantagem aos 22-21, a partir de um grande serviço e depois de um remate de Wagner Silva.

Com um grande bloco a meias de Armando Velásquez com Tiago Barth, o Sporting CP fez o 21-23. O jogo ficou ainda mais emocionante, com Tiago Barth a assinar o 22-24, numa espécie de ‘recarga’, e o 22-25 final aconteceu depois de uma má recepção a serviço de Martin Licek.

No quarto set, o Sporting CP começou por falhar três serviços consecutivos, mas nessa fase pontuou sempre no sideout. Também com a AJ Fonte a colocar serviços na rede.

Com boa distribuição de Armando Velásquez, os empates vigoraram até aos 9-9, quando a equipa insular se destacou aos 9-11. As dificuldades no serviço notavam-se na equipa Leonina, que empatou a 14, depois de um remate para fora de um jogador da equipa açoriana.       

Francisco Pombeiro, com um ás, fez o 14-16, e um bloco de Wagner Silva deu o 14-17. Com um bloco a funcionar, a AJ Fonte do Bastardo foi gerindo a diferença de três pontos, conseguindo contra-ataques em situação difícil. A AJ Fonte do Bastardo fechou depois o set nos 20-25.

Na ‘negra’, começou melhor o Sporting CP, com um ponto a partir do serviço de Francisco Pombeiro, com os Leões a somarem dois pontos seguidos, um deles no bloco.

Num set equilibrado, Jan Galabov conseguiu um bom bloco para o 7-6, mas na viragem de campo, era a AJ Fonte do Bastardo que vencia por 7-8, depois de um bloco. O Sporting CP virou para 10-9 depois de mais um bom bloco e os Leões conseguiram uma ‘mini-vantagem’ a 12-10, com um remate de Wagner Silva. A AJ Fonte empatou depois a 13 pontos. Os Leões tiveram um ‘match-point’, mas Kevin Kobrine rematou para fora. 

A AJ Fonte voltou a empatar a 15, depois Galabov rematou para fora, Wagner Silva voltou a empatar, os Leões passaram depois para a frente aos 18-17, a AJ Fonte Bastardou fez um bloco a Wagner para o 18-18. Aos 19-18 e depois de novo match-point, Galabov serviu para fora, mas no ponto a seguir, Wagner Silva fez o 20-19, com a AJ Fonte Bastardo a empatar a 20 pontos. Tiago Barth fez o 21-20 e Wagner Silva jogou com o bloco para fora da AJ Fonte Bastardo e fez o 22-20 final, numa final electrizante, frenética, imprópria para cardíacos e de final feliz para os Leões que conquistaram assim a Taça de Portugal com os adeptos Leoninos em delírio na bancada.    

Sporting CP: Tiago Pereira [C], Jan Galabov, Kevin Kobrine, Vinícius Lersch, Kelton Tavares, Gonçalo Sousa, Lucas Vanberkel, Martin Licek, Wagner Silva, Gil Meireles [L], Tiago Barth, Imanol Tombíón, Armando Velásquez e José Chema Carrasco. 

Páginas

Subscreva RSS - Voleibol