Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Loja Verde com horário de Verão

Por Jornal Sporting
22 Jul, 2015

Governo timorense visita Sporting

Por Jornal Sporting
22 Jul, 2015

Estádio, Museu e Academia foram os pontos de passagem

O Secretário de Estado de Timor-Leste, Leovigildo Hornai, fez-se acompanhar pela sua comitiva numa visita institucional às instalações do Sporting Clube de Portugal, numa óptica de estreitar relações entre o governo timorense e o Clube de Alvalade.

Vicente Moura, vice-presidente das modalidades ‘leoninas’, que representou o Presidente Bruno de Carvalho neste encontro, referiu-se à importância do encontro entre as partes. “Esta é uma visita no âmbito da aproximação do Sporting com núcleos e com as entidades estatais de nações amigas. Hoje o caso concreto é Timor-Leste, onde temos uma filial Sportinguista. O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto visitou-nos e tinha curiosidade para conhecer ‘in loco’ as condições de trabalho do Sporting e a sua dimensão. Ficaram impressionados e deixaram uma mensagem expressiva no livro de honra do Museu”, explicou o dirigente, mostrando ainda confiança no futuro desta ligação. “Em breve poderemos trocar instrumentos de colaboração e protocolares para renovar e fortalecer os laços com Timor-Leste. Naturalmente que o país tem jogadores de grande talento, pois tanto nascem lá como cá em Portugal e é importante que o Sporting esteja sempre atento e informado sobre os talentos que vão surgindo em todo o Mundo”, concluiu.

Já Bruno Mascarenhas, vogal para a expansão e núcleos do Clube, explicou como se deu o encontro. “Tivemos a informação da visita do senhor Secretário de Estado a Portugal e sabemos que o país está agora a reerguer-se, a criar as suas infra-estruturas e a fazer uma grande aposta no desporto. Tem uma população jovem e ávida da prática desportiva. Tendo em conta as relações históricas que temos, a filial Sporting Clube de Timor que conta com uma presença histórica e muito bem posicionada no país, fazia todo o sentido ter aqui o senhor Secretário de Estado e a sua comitiva. Queremos ter uma relação mais próxima com filial e as instituições timorenses”, evidenciou.

Do lado timorense, Leovigildo Hornai explica o interesse timorense no Sporting. “A intenção da visita foi para ver de perto o desenvolvimento da Academia Sporting. O Clube tem muita qualidade e um grande Estádio. Da parte do governo de Timor-Leste que tutela o desporto, queríamos fazer esta visita para ver de perto qual a possibilidade de uma cooperação de futuro”, disse, aproveitando a oportunidade para agradecer a simpatia ‘leonina’. “A hospitalidade foi um ponto alto, com o máximo de atenção por parte do vice-presidente e da estrutura do Clube”, elogiou, mostrando ainda um plano bem traçado para o futuro do país. “Em Timor queremos continuar a investir no futebol para promover o talento dos nossos jovens timorenses, de forma a estarem prontos para competir a nível internacional. Vamos discutir a possibilidade de uma futura relação com o Sporting para desenvolver os clubes nacionais. Estamos na era do Sporting. É um ano em grande para o Clube, com grandes contratações”, concluiu o Secretário de Estado.

Por fim, Augusto Inácio, o novo director das relações internacionais do Clube de Alvalade, falou com agrado da visita do governo timorense. “Foi uma honra receber o senhor Secretário de Estado de um país que é praticamente novo. O Sporting está sempre disponível para procurar os princípios de um novo país. Veio conhecer o Estádio e a Academia e, dentro do que podemos fazer, vamos intensificar as relações entre as partes. Mas nada como visitar ‘in loco’ as condições e este foi um intercâmbio muito bom. Estamos sempre disponíveis para ajudar neste aspecto. Agora faz sentido um segundo encontro para saber exactamente aquilo que Timor quer”, rematou.

Apresentação no Troféu Francisco Stromp

Por Jornal Sporting
22 Jul, 2015

Andebol, futsal e hóquei entram em acção em torneio de pré-época

Disputa-se, nos próximos meses de Agosto e Setembro, o Troféu Francisco Stromp, torneio de pré-época que vai servir de apresentação para as equipas de andebol, futsal e hóquei em patins.

A formação de andebol ‘leonina’ terá como adversário o BM Ciudad Encantada, emblema de Cuenca que milita na Liga ASOBAL. Já o futsal vai defrontar o vice-campeão espanhol El Pozo Murcia e o hóquei terá pela frente os espanhóis do Hockey Club Liceo, da Corunha.

As partidas de andebol e futsal realizam-se no mesmo dia, a 25 ou 26 de Agosto – falta ainda definir a data exacta em função do jogo do ‘playoff’ de acesso à Liga dos Campeões de futebol – sendo certo que se realizarão no Pavilhão Multiusos de Odivelas, às 19h30 e 21h30, respectivamente.

Já o plantel de hóquei em patins entra em acção no dia 19 de Setembro, no Pavilhão do Livramento.

Esta será, sem dúvida, mais uma grande oportunidade de assistir ao vivo aos jogos de preparação das nossas modalidades.

“Agora há rigor, método e planificação”

Por Jornal Sporting
18 Jul, 2015

Entrevista de Bruno de Carvalho no ‘Jornal de Notícias’

“Agora há rigor, método e planificação”, destacou o líder ‘leonino’ em relação aos dois anos de constante evolução do Clube. “Não se gere uma instituição com a grandeza e os pergaminhos do Sporting por espasmos. Os tempos mudaram. Já estávamos a preparar tudo para fazer um investimento nesta época para lutarmos pelo título”, acrescentou.

Ao longo da entrevista, Bruno de Carvalho enalteceu o papel dos Sócios na forma como apoiaram o projecto desde que foi eleito, em Março de 2013, e frisou o orgulho por ocupar o cargo. “Foram eles (os Sócios e adeptos) e a sua inquebrável união em torno do projecto, que lhes prometemos para o Clube, que nos permitiram sermos hoje um Clube, se calhar o único em Portugal, equilibrado financeiramente. E isso com uma gestão transparente em que tudo é conhecido dos Sócios”, referiu. “Todos os mandatos são uma enorme responsabilidade. O Sporting é a minha vida. Não utilizo esta frase como um desabafo ou um queixume por não ter tempo para mais nada mas como um grande motivo de orgulho por me darem a oportunidade de fazer do meu amor a minha vida”, complementou nesta parte da conversa de três páginas.

Em relação ao futebol, e à semelhança do que já tinha destacado na véspera ao Canal do Clube, o Presidente do Sporting reforçou que a SAD ‘verde e branca’ não tem necessidade de vender ninguém e elogiou as primeiras semanas de trabalho da estrutura do futebol, com Jorge Jesus, Octávio Machado e Manuel Fernandes. “Eu e Jorge Jesus temos trabalhado juntos muito bem. Temos muito em comum, desde logo uma paixão intensa pelo futebol e um amor incondicional pelo Sporting e, claro, um objectivo muito forte que nos une desde a primeira hora: lutar por títulos”, comentou. “Octávio Machado e Manuel Fernandes vieram trazer um ‘know how’ que lhes é reconhecido e reforçaram a estrutura de apoio ao treinador e ao Presidente. Com a circunstância de serem três regressos a casa, daqueles que já se comenta serem os ‘Três Grandes’”.

Por fim, Bruno de Carvalho abordou também a questão do sorteio dos árbitros. “Foi aprovado na Assembleia da Liga. Quando existe qualidade, o sorteio não tem de ser receado. O sorteio não é um objectivo encerrado em si próprio, é o caminho de não ter medo de procurar a credibilização do futebol e a criação e manutenção do conceito de luta pela verdade desportiva. Não é contra os árbitros, é a favor dos árbitros”, explicou.

Juve Leo já deu pontapé de partida

Por Jornal Sporting
11 Jul, 2015

Claque abre época com almoço de convívio

Foi literalmente o pontapé de saída para a época 2015/2016. A Juventude Leonina reuniu-se no Campo de futebol do Monte da Caparica Atlético Clube para um dia de convívio entre os membros da claque. Primeiro o jogo entre a Juve Leo Norte e a Juve Leo Sul, depois, a terceira parte: sardinhas, bifanas e imperiais, ao som das músicas que continuam a marcar a história do Clube.

Para a primeira parte, Samico, um dos líderes da 'curva', não quis trocar os papéis. “Já fui jogador do Atlético Cacém, mas preferi ficar de fora”, confessou. As equipas foram divididas em Juve Leo sul e Juve Leo norte para facilitar a constituição das mesmas; na primeira, um defesa central ainda deu uma ajuda ao provocar uma grande penalidade que, no entanto, foi desperdiçada. Como a sua exibição não estava do agrado dos colegas, passou para extremo-direito. “Se o jogo tivesse sido há 15 anos a conversa era outra. No fundo o que importa é a união e o convívio. Todos os anos tomamos esta iniciativa de juntar os membros da claque para abrirmos a nova temporada da melhor forma. Este ano tivemos à volta de 400 pessoas presentes”, afirmou Mustafa, outro dos actuais responsáveis pela Juventude Leonina, o tal defesa-central que mais tarde passou para extremo.

Os dois 'tiffosi' aproveitaram para fazer uma referência à época que agora começou, depositando confiança na actual equipa. “Será uma temporada exigente mas todos acreditamos como sempre, mas este ano mais ainda. Esperamos que tudo corra bem”, salientou Mustafa. Já Samico, espera que 2015/2016 seja “saboroso”. “Vamos apoiar do primeiro ao último minuto como sempre. O Sporting tem adeptos fantásticos, dos melhores que há no Mundo”.

Do outro lado, não do campo como costume, mas na bancada, estiveram Francisco Geraldes e Matheus Pereira, que distribuíram sorrisos para as fotos e autógrafos. “Sempre fui do Sporting e esta ligação é natural para mim. É um contacto importante que temos com quem nos apoia. Também era assim quando estava do lado de fora, pedia muitos autógrafos aos jogadores”, avançou Geraldes que recordou aquelas assinaturas que jamais se esquecerá: “André Cruz e Liedson”.

Matheus Pereira também era 'adepto' de Liedson, e de Polga. Hoje, está no lado inverso, a dar os autógrafos. No Monte da Caparica, disse sentir uma alegria imensa por estar perto de quem os apoia todo o ano. “É muito bom sentir a presença de todos eles que nos apoiam sempre. Dá-nos confiança. Fico feliz por ter tido esta oportunidade de receber o carinho dos adeptos”, frisou o jogador brasileiro que também admite ser um sinal de reconhecimento. “É um reconhecimento pelo que temos trabalhado. Amo o Sporting, é um Clube com uma dimensão enorme e é a minha vida. Estou num sítio que sempre desejei”.

De manhã treinaram, à tarde fizeram parte da claque. Se fossem os 'donos' da aparelhagem, teríamos o 'Força Brutal' pela mão de Geraldes e o 'Meu amor é o Sporting' por parte de Matheus, num dia em que não faltou música mas o mais importante foi mesmo o convívio.

Gato de Frankfurt? Sim. Leão voador? Sempre

Por Jornal Sporting
10 Jul, 2015

Azevedo, o primeiro grande guarda-redes nacional, faria hoje 100 anos

João Azevedo faria hoje 100 anos. O primeiro grande guarda-redes português não tocava na frente com os Cinco Violinos mas conseguiu a maior sinfonia de títulos: 22!

Há qualquer coisa de especial no Barreiro. Foi lá que nasceu Carlos Gomes. Foi lá que nasceu Carvalho. Em pequenos não viram fantasmas; em grandes tornaram--se monstros; hoje são como os diamantes – eternos. Mas a história mostra que nunca há duas sem três e, antes dos guarda-redes que se notabilizaram na baliza do Sporting nos anos 50 e 60, um outro se destacou como herói improvável. Era pequeno (para a posição) mas saltava mais do que os outros. Ágil, destemido, sempre com um estilo felino. Ganhou a alcunha de ‘Gato de Frankfurt’ após uma exibição de sonho na Alemanha; foi também chamado de ‘Tigre português’ pelos reflexos apurados sem precedentes no País; será, para sempre, um exemplo de leão que nem ferido virava a cara à luta. Só queria ganhar. E, no final, ganhava. João Azevedo, o jogador mais titulado de sempre, faria amanhã 100 anos.

Começou no Barreirense, passou para o Luso e tentou a sorte no Benfica. Não ficou. As indicações deixadas até agradaram os responsáveis ‘encarnados’, mas foi o jovem João a não gostar da forma como foi tratado, sobretudo pelo facto de não dispensarem sequer o dinheiro para regressar ao Barreiro. O guarda-redes era uma pessoa de princípios e não se revia naquelas faltas de atenção. Sorte do Sporting, que o contratou. E provavelmente era a opção onde mais dificuldades teria em jogar: os ‘leões’ já contavam com Jaguaré, um dos primeiros brasileiros a alinhar no Clube que veio do Corinthians depois de já ter passado pelo Barcelona, e com Dyson, um internacional português ex-Benfica. Todavia, foi só uma questão de tempo: desde a estreia com o Boavista, em Fevereiro de 1936, não mais perderia o lugar até 1953, ano em que perdeu de vez o lugar para Carlos Gomes.

Mesmo não sendo alto, destacava-se pela agilidade e pela capacidade de sofrimento que ainda hoje deveria servir de exemplo enciclopédico para qualquer atleta ‘verde e branco’. E episódios, esses, encontram-se avulso. Como o encontro decisivo do Campeonato de Lisboa de 1946, em que fracturou a clavícula, saiu de campo mas regressou quando o 1-1 se mantinha para garantir que o Sporting chegaria à vitória por 3-1 (e consta que, pelo meio, ainda fez uma defesa vistosa com um só braço a remate forte de Espírito Santo). Como a final da Taça de Portugal de 1948, diante do Belenenses, em que nem a fractura no pé conseguiu fazer com que encostasse no banco sem mais jogar (recorde-se que, na altura, não havia substituições). Ou como outros jogos onde abriu a cabeça mas preferiu levar pontos para fechar a ferida apenas depois de garantir os pontos da vitória.

Reza a lenda que Azevedo tinha um feitio refilão. Não se importava de contestar o que achava mal, mesmo que tal atitude pudesse causar dissabores pessoais. Várias imagens mostram o gosto em jogar de boina, nenhuma revela outro dos hábitos em alguns jogos especiais: fumar um cigarrinho às escondidas dos treinadores e companheiros antes da entrada para o início da partida. Ganhou nove Campeonatos de Lisboa, sete Campeonatos Nacionais, quatro Taças de Portugal e dois Campeonatos de Portugal. Foi internacional por 19 ocasiões. Chegou a capitão dos ‘leões’ após o abandono de Álvaro Cardoso. Na frente, ouvia-se a melodia saudosa de Cinco Violinos talhados para fazer golos; atrás, na rectaguarda de uma defesa de betão, esteve sempre um maestro na arte de evitar golos.

“A consagração de um ídolo – João Azevedo, um jogador que honra o desporto português, recebeu um justo prémio por uma carreira a todos os níveis notável”, escrevia o jornal ‘A Bola’ no dia em que o guarda-redes recebeu uma justa homenagem depois de terminar a carreira. A seguir ao futebol, foi taxista na terra que o viu nascer e motorista num colégio em Londres antes de regressar a Portugal, onde morreria em 1991. Hoje, 100 anos depois do nascimento, fica o eterno exemplo de quem mostrou que não há impossíveis quando se quer ganhar. Porque João Azevedo era assim – queria ganhar mais do que os outros. Sempre com o respeito máximo pelo ‘leão’ que envergava ao peito.

Sporting assina protocolo com a APAVT

Por Jornal Sporting
07 Jul, 2015

Parceria celebrada hoje no Estádio José Alvalade

O Sporting Clube de Portugal assinou hoje um protocolo com a Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo, que visa a cooperação entre as duas instituições para a realização de eventos.

Pedro Costa Ferreira, presidente da Associação, mostrou-se extremamente feliz com o resultado final. “É um casamento entre dois aliados naturais. A APAVT representa o poder da distribuição turística em Portugal e é responsável pela esmagadora maioria das presenças de turistas nacionais e estrangeiros em Portugal. Contudo, não há distribuição que se faça sem um bom espaço físico e conteúdo. É aqui onde entra o Sporting, que tem um espaço de eleição onde dá para organizar eventos, congressos ou casamentos. Para além disso, tem uma história fantástica e uma presença de grande qualidade em Portugal e isso representa conteúdos para nós, como o Museu ou um jogo de futebol”, explicou, reforçando que é um projecto pioneiro em termos nacionais. “São protocolos importantes que temos procurado realizar e nesse sentido é pioneiro. Esperamos daqui a um ano estarmos a fazer um ponto de situação e felizes por contribuirmos para um turismo e um Sporting mais fortes”, concluiu o presidente da APAVT.

Do lado do Sporting, o vice-presidente Carlos Vieira fez questão de enaltecer a celeridade com que todo o processo se desenvolveu. “Rapidamente se juntaram os interesses de ambas as partes e foi algo que aconteceu em menos de um mês”, assumiu, referindo ainda qual o objectivo por trás desta parceria. “É um protocolo com um interesse significativo. O Estádio José Alvalade tem condições únicas para a realização de qualquer tipo de evento, desde os maiores como concertos até aos mais pequenos de empresas de todo o Mundo. Estamos numa zona central da cidade, temos todo o tipo de acessos e a verdade é que é uma área que não tem sido muito rentabilizada. É um passo importante para uma maior ligação internacional, até porque Lisboa é das cidades mais interessantes do Mundo e atrai muitos turistas e congressos. Queremos rentabilizar o Estádio mais do que apenas quando temos jogos em casa, alargando o uso destes espaços”, concluiu o responsável para a área financeira.

‘Leões’ galardoados em Tomar

Por Jornal Sporting
04 Jul, 2015

Prémios Esforço, Dedicação, Devoção e Glória

Por ocasião do seu 23º aniversário, o Núcleo do Sporting Clube de Portugal de Tomar realizou pelo sexto ano consecutivo a entrega dos prémios Esforço, Dedicação, Devoção e Glória, distinguindo algumas das figuras de proa da época que agora termina, assim como outros associados nabantinos.

Na categoria Esforço o vencedor foi o director da Sporting TV, Nuno Graça Dias, nascido em Tomar. Na hora dos agradecimentos, o jornalista fez referência ao sócio número um Salvador Marques, na II Gala Honoris Sporting. “Como dizia Salvador Marques na Gala, não fiz nada de especial para estar aqui. O esforço faz parte da vida, é uma coisa normal”.

Na Dedicação, a Torcida Verde e a Banda Supporting foram os premiados pelos 30 anos de existência e pelo primeiro CD lançado, respectivamente. Jorge Soares, membro da claque organizada, agradeceu o prémio que, disse, “premeia o esforço de quem ama o Sporting e de quem dá tudo para que o Sporting esteja bem”. Pela banda ‘leonina’, o vocalista Pedro Marques demonstrou-se grato pela distinção. “Agradeço em nome dos quatro membros da Banda. Tentamos passar os valores do nosso Clube através de música e ficamos satisfeitos por saber que gostam do nosso trabalho”.

O terceiro galardão, de nome Devoção, foi entregue, a título póstumo, a Eduardo Pinheiro de Azevedo, avô do actual Presidente do Clube, Bruno de Carvalho. Sua mãe, Ana Carvalho, não escondeu a satisfação pela lembrança. “Estou felicíssima, honradíssima, por receber este prémio em nome do meu pai. Fui a primeira a ouvir a história do Sporting enquanto ele escrevia essa mesma história com toda a entrega e paixão. Peço-vos três vivas: aos antigos Sportinguistas que já não estão entre nós; à maior devoção dos actuais e ao Sporting”.

Na mesma categoria, o membro do Conselho Fiscal e Disciplinar, Jorge Bacelar Gouveia, também foi premiado. “Têm sido dois anos exaltantes, de muito trabalho, a acompanhar a energia e coragem do nosso Presidente. É um prémio de todo os órgãos do Conselho Fiscal e Disciplinar, aquele que mais vezes se reuniu até hoje. Tivemos 33 reuniões até ao momento, bem mais que as três obrigatórias, o que demonstra que se tem trabalhado em prol do Clube”, disse, após receber a menção.

Por fim, também o prémio Glória foi atribuído duplamente, neste caso, à equipa de futebol e ao técnico Nuno Lopes, pelas conquistas da Taça de Portugal e da Taça CERS, respectivamente. O técnico ex-Sporting de Tomar foi o primeiro a recebê-lo, lembrando os bons tempos passados na cidade nabantina. “Tem-se tornado um habitué nas últimas semanas este tipo de prémios. Naturalmente que represento um vasto número de pessoas; foi um ano gratificante na modalidade e é um orgulho enorme ter contribuído para isso. Não posso esquecer os oito anos que passei em Tomar, foram sem dúvida um grande trampolim para chegar até ao Clube de todos nós”.

Em representação da equipa de futebol esteve Bruno de Carvalho, que agradeceu em nome da equipa…cansada dos treinos de hoje. “Será entregue, amanhã, na Academia. Infelizmente não pudemos ter nenhum jogador aqui a receber o prémio porque hoje tiveram um treino bi-diário, e bom. Eu era o único em forma para poder receber a distinção”, brincou.
À margem do troféu, Bruno de Carvalho fez algumas menções à família, depois de o avô ter sido homenageado a título póstumo. “Nestes dois anos e meio nunca tive semelhante oportunidade de poder conviver com a minha família. Os meus pais, a minha filha e a minha irmã. Tive a honra e a sorte de poder crescer a ouvir a história do Sporting por intermédio do meu avô. Foi um homem que não só teve a vivência pelo papel mas também a trabalhar no Clube, ao lado de grandes figuras. Por isso sou obcecado pelas vitórias, porque cresci a ver o Sporting vencer”, rematou.

Continuando com o tema familiar, lembrou aos presentes a razão de, por vezes, não conseguir ficar impávido e sereno perante acusações infundadas da comunicação social. “Custa-me ouvir disparates, não por mim, mas por eles (família) ”. Bruno de Carvalho também abordou o início da nova época, confiante no trabalho daqueles que estão ao seu lado. “Começámos a nova época fortes e unidos, com um rumo bem definido. As pessoas percebem para onde caminhamos e os 97.2% de votos que aprovaram o orçamento na Assembleia Geral demonstram-no, com uma excelente adesão dos sócios, num dia de calor e convidativo para uma ida à praia. Também se começa a notar alguma mudança no futebol português depois de intensas batalhas que travámos. Financeiramente, fizemos um grande esforço de rigor e contenção ao longo de dois anos, graças a um fantástico trabalho de equipa, em que sublinho o papel dos nossos órgãos sociais que têm sido inexcedíveis”, afirmou, negando qualquer divisão no Clube.

“Às vezes oiço dizer que os Sportinguistas estão divididos, mas o que vejo é um Clube de ideias arrumadas, com adeptos coniventes com o que está a ser feito, sabendo que não estamos a trabalhar por interesse próprio. Os jogos não se ganham só dentro de campo, ganham-se com o 12º jogador. Se estivermos 100% unidos duvido que alguém segure este ‘leão’. É o nosso desígnio, o que o meu avô me ensinou; é um Clube de Glória”, finalizou.

“Afirmação de um Clube com glória”

Por Jornal Sporting
03 Jul, 2015

Bruno de Carvalho, Presidente do Sporting, em entrevista à TVI

Bruno de Carvalho, Presidente do Sporting, foi o convidado especial do ‘Jornal da Noite’ da TVI. Numa entrevista conduzida por Judite de Sousa, o líder ‘leonino’ abordou várias questões como a contratação de Jorge Jesus, o reforço da estrutura do futebol, os dois primeiros anos de mandato ou a actual situação do futebol português.
 
Bruno de Carvalho fez também questão de reforçar o novo ciclo que o Clube vai agora abrir, tentando recuperar as tradições de vitória que se foram perdendo nos últimos anos. Em resumo, aqui ficam as principais ideias em relação a cada um dos assuntos:
 
Quem manda no futebol do Sporting?
“Naturalmente, o treinador e toda a sua estrutura que tem o Presidente. Uma coisa é o trabalho técnico, que é o treinador. Em termos de futebol, há um trabalho com decisões em conjunto. Vamos esperar primeiro pela avaliação dos jogadores e depois veremos as necessidades que o plantel terá, olhando para o mercado e percebendo se existe necessidade de assegurar algum elemento.”
 
Foram impostas condições a Jorge Jesus?
“Não há condições diferentes às condições de qualquer treinador do Sporting e de um treinador cujo passado recente é ganhar três títulos em seis anos. Podemos fazer a afirmação de um Clube como glória. Isso já foi transmitido por Jorge Jesus. Queremos conquistar títulos e é também uma forte ambição de todos.”
 
Como se desenrolou a contratação de Jorge Jesus?
“Estávamos atentos ao que se estava a passar, tivemos a informação que havia a possibilidade de não ficar e contactámos Jorge Jesus dois dias antes de anunciar a contratação. É destas coisas rápidas que se conseguem surpresas, o que é difícil num mundo mediatizado. Foi tudo muito rápido, com uma vontade muito grande de ambas as partes. O Sporting já tinha pensado antes num plano financeiro.”
 
Foi o Sporting que procurou Jorge Jesus ou vice-versa?
“Qualquer Clube tem a ambição de ter nos seus quadros um treinador bicampeão. Fechámos e foi bom para todos. Percebemos que em princípio não havia renovação e foi relativamente simples e fácil fechar o acordo. Por muito que surpreenda, foi assim. E se calhar por isso é que tivemos tanto sucesso. Das propostas que estiveram em cima da mesa, e que o Sporting teve conhecimento, foi a mais baixa. Por isso fizemos um bom negócio. É público que alguns clubes estrangeiros fizeram propostas e que havia interesse que saísse do País. Quis continuar no Clube do coração e foi bom para todos.”
 
O investimento do Sporting
“Tenho de reforçar que o Sporting é o Clube que menos investiu. Por isso, nem de perto nem de longe é assim um investimento tão grande em comparação com os outros. O Sporting é hoje o clube dos três ‘grandes’ com menor passivo e que menos investiu.”
 
Vai continuar no banco de suplentes?
“Vivemos muito da nossa imagem e do que se acaba por passar para o exterior. Estou no banco como muitos presidentes já estiveram. Sofro com o jogo, sei o que implica uma derrota, um empate ou uma vitória na estrutura. Não sei se vou continuar no banco, sinceramente. Mas estava no banco para sentir o grau de compromisso das pessoas para tirar ilações e saber gerir. Há quem opte que lhe digam, outros que preferem estar por dentro a trabalhar. Espero que Jorge Jesus mude o meu estilo sim, porque esse estilo é conseguir vitórias e títulos, é esse o meu estilo.”
 
O Sporting e os primeiros dois anos de mandato
“Em dois anos fizemos uma reestruturação fundamental que equilibrou o Sporting, uma execução que tem sido reconhecida em termos internos e externos, como a UEFA fez. É um Clube que se tem modernizado, que costumava ter muitas divisões mas que, como se viu na Assembleia Geral, está unido. Tenho afirmações controversas? Sim, mas é preciso haver resultados e eles têm aparecido. Não tenho problemas em olhar para mim e perceber que há pequenas coisas que eventualmente posso alterar.”
 
Em que áreas trabalharão Octávio Machado e Manuel Fernandes?
“Octávio Machado e Manuel Fernandes vão trabalhar muito de perto com Jorge Jesus nas áreas de ‘scouting’ e do futebol. Aquilo que quero e pretendo é criar condições claras para que o Sporting mude e vá ao encontro da sua história. O que penso é no Sporting. Se o que necessitamos são as competências das pessoas, é isso que me interessa. Penso no Clube, não penso em mim.”
 
A expulsão de Godinho Lopes de Sócio
“Tenho ouvido falar sobre auditoria e a exposição pública da auditoria mas existem leis. O Sporting não trouxe o assunto para a praça pública. Está a ser feita uma auditoria, que pode ser consultada pelos Sportinguistas. Em paralelo, um conjunto de cerca de 100 Sócios que colocou um requerimento junto do Conselho Fiscal e Disciplinar, não tem nada a ver com a Direcção do Sporting.”
 
A situação de Marco Silva
“A minha vontade desde a primeira hora foi que as coisas pudessem ter tido uma resolução pacífica. A partir do momento em que há um processo disciplinar e que as pessoas estão representadas por advogados, isto transforma-se mais num assunto jurídico do que noutra coisa qualquer. É a lei.”
 
O futebol é um mundo sério?
“Temos de melhorar muito, evoluir. Fizemos uma série de propostas, as pessoas têm compreendido, mas temos de caminhar muito, todos, para transmitir essa imagem de credibilidade às pessoas. Devemos tentar ser exemplo e nesta altura o futebol não o é.”

“Balanço é altamente positivo”

Por Jornal Sporting
28 Jun, 2015

Jaime Marta Soares resumiu Assembleia Geral do Clube

O Sporting Clube de Portugal realizou hoje uma Assembleia Geral, onde foram debatidos e votados vários temas transversais ao Clube perante mais de mil Associados que marcaram presença e encheram o Multidesportivo de Alvalade a partir das 15 horas.

Após a apresentação do projecto de construção do Pavilhão João Rocha, que estará concluído em Março de 2017 (todas as imagens por ora existentes podem ser consultadas na página oficial do Clube no Facebook), foi aprovado por unanimidade a atribuição de distinções honoríficas a Associados e a dissolução de nove sociedades do sector imobiliário participadas pelo Clube com apenas quatro abstenções.

De seguida, o Presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, apresentou os resultados e conclusões da auditoria de gestão sobre a fase do imobiliário (de 1995 a 2013) e a fase três respeitante ao mandato de Filipe Soares Franco (19 de Outubro de 2005 a 5 de Junho de 2009), a que se seguiram várias intervenções de Sócios ‘leoninos’ a propósito do tema.

Por fim, e atentando na convocatória para esta Assembleia Geral, Carlos Vieira, vice-presidente para a área financeira do Sporting, explicou de forma sintética o orçamento de receitas e despesas do Clube para o exercício de 1 de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2016, que mereceu uma votação favorável esmagadora de 97,2%.

Já depois deste momento, Bacelar Gouveia, presidente do Conselho Fiscal e Disciplinar dos ‘leões’, explicou as conclusões dos processos disciplinares abertos aos Sócios Luís Filipe Fernandes David Godinho Lopes, Luís José Vieira Duque, Carlos Manuel Rodrigues de Freitas e José Filipe de Mello e Castro Guedes, após solicitação de um conjunto de 76 Associados face às graves irregularidades reveladas no Relatório Final da fase 1 da auditoria de gestão do Sporting (pode também ler o comunicado do CFD na íntegra no site oficial do Clube).

No final da reunião magna, Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Clube, explicou a condução dos trabalhos e as várias horas de trabalho. “O balanço desta Assembleia Geral é altamente positivo, foi extraordinária. O conjunto de documentos foram apresentados aos Sócios a contento, para que todas as suas opções fossem fundamentadas com conhecimento. Foi mais uma daquelas assembleias que defino como o Sporting novo, com nova visibilidade e interpretação daquilo que tem de ser o futuro do Clube”, salientou.

Em paralelo, o líder do órgão máximo do Clube enalteceu a clareza das explicações e das conclusões da auditoria de gestão. “Os Sócios já não se deixam embarcar em ilusões ou utopias. A auditoria tem sido feita de forma esclarecida e aberta. Demorou muito tempo mas nada ficou por responder. Nenhuma pergunta ficou por responder. Gostaria que todos tivessem assistido à forma criteriosa, espontânea e consciente com que os mais de mil Sócios expressaram de pé a total confiança ao Presidente para que o Sporting continue a esclarecer tudo o que importante e a dar a conhecer a vida do Clube. O Sporting não irá deixar a culpa morrer solteira”, comentou.

“Aquilo que competia ao Conselho Fiscal e Disciplinar, depois de uma análise minuciosa e profunda, com a competência que encerra aquele órgão, era contratar alguém que pudesse fazer o inquérito com toda a independência. Dos quatro Associados em questão, dois não foi preciso agir porque pediram a exoneração; a Luís Duque foi dada a suspensão de um ano; e a Godinho Lopes, numa situação que é sempre desagradável, foi apontada a expulsão. Godinho Lopes teve as oportunidades para responder à nota de culpa. Não o fez e só a si o deve, à sua consciência. Poderá agora recorrer à Assembleia Geral ou para os tribunais comuns pois, felizmente, em Portugal todos se podem defender”, acrescentou à Sporting TV Jaime Marta Soares, a propósito dos processos disciplinares instaurados a quatro Sócios do Clube.

Páginas

Subscreva RSS - Notícias