Your browser is out-of-date!

Update your browser to view this website correctly. Update my browser now

×

Taxonomy term

Foto José Cruz

Dilúvio de golos frente ao Vilaverdense

Por Jornal Sporting
26 Mar, 2017

Na 20.ª jornada da Liga Allianz, as leoas somaram mais três pontos, desta feita depois de uma goleada por 8-0

O tempo estava impróprio para a prática do futebol, mas a verdade é que a equipa do Sporting CP não deixou que as condições atmosféricas condicionassem o hábito de golear, desta vez frente ao Vilaverdense. Na 20.ª jornada da Liga Allianz, houve chuva... de golos. Apesar de Diana Silva ter estado em destaque ao alcançar o 'póquer', a capitã Solange Carvalhas 'bisou' e Joana Marchão, tal como Ana Capeta, também colocaram os seus nomes na lista de marcadoras. 

Tornar o difícil, fácil - foi  isso que as comandadas de Nuno Cristóvão fizeram, esta tarde, no Estádio Aurélio Pereira. Com uma entrada forte na primeira parte do desafio, o conjunto do Sporting CP tinha o jogo quase sentenciado à passagem do minuto 35', após Solange Carvalhas ter desviado, de primeira, o cruzamento de Ana Borges, e colocado a equipa a vencer por 4-0. A forma como as 'mulheres e as raparigas', como gosta de lhes chamar o 'mister', chegaram aos primeiros três golos foi semelhante: bola para as costas da defensiva contrária numa forte aposta da velocidade das três setas ((Solange Carvalhas, Diana Silva e Ana Borges) que estiveram apontadas à baliza adversária.
 
A melhor marcadora da competição (Solange) inaugurou o marcador com um golo de bandeira (6') - 'chapéu' perfeito sobre Daniela Araújo -, deixando bom prenúncio para o que aí vinha. Na verdade, o que veio foram mais finalizações certeiras diante de um opositor incapaz de se impor e com claras debilidades no sector mais recuado. Diana Silva, aos 12' e aos 16', aumentou para o 2-0 e para os 3-0, respectivamente, sendo que a número 19 verde e branca viria a atingir o 'póquer' na etapa complementar. 
 
No decorrer da primeira parte, destaque ainda para a enorme intervenção de Inês Pereira a remate de Diva Meira, demonstrando que, apesar das poucas solicitações, estava preparada para mostrar serviço. Esta que foi a única oportunidade de golo das orientadas de Carlos Valadar. 
 
À entrada do segundo tempo, Inês Pereira voltou a intervir, mantendo assim intactas as redes da baliza do Sporting CP. Só o incrível livre de Joana Marchão, cobrado de forma exímia (27', 5-0), viria a agitar o encontro e os adeptos que se deslocaram à Academia leonina apesar do mau tempo que se fez sentir. A partir desse lance e da entrada de Ana Capeta, as leoas voltaram a assumir o comando da partida, somando outros três golos. Novamente, a suspeita do costume (Diana Silva) brilhou aos 29' e  aos 33', tendo sido Ana Capeta a fechar a contagem na cobramça de uma grande penalidade - prémio justo para a forma aguerrida como a número 7 leonina saltou do banco. 
 
São 56 os pontos que o Sporting CP soma até ao momento, mantendo a liderança da tabela classificativa numa altura em que o Campeonato Nacional Feminino irá parar cerca de duas semanas e antes da deslocação ao terreno do Estoril. 
Foto José Cruz

"Fomos muito superiores"

Por Jornal Sporting
19 Mar, 2017

Nuno Cristóvão não escondeu a felicidade com a vitória robusta e consequente apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal

As leoas conseguiram este domingo o apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal de forma inapelável e Nuno Cristóvão ficou satisfeito com a prestação da equipa. "Alcançámos o objectivo que era passar às meias-finais. Penso que jogámos muito bem, sobretudo na primeira parte. Tivemos uma eficácia muito alta no primeiro tempo, em que em 12 remates fizemos cinco golos. Dos sete em que não fizemos, pelo menos três deles foram oportunidades claras. Na segunda parte sabia que ia ser difícil manter o nível porque o resultado estava feito e o apuramento garantido, mas mesmo assim coloquei um objectivo muito alto às jogadoras, tal como já tinha feito na semana passada. Não jogámos tão bem, porém uma equipa que ganha por 8-0 só pode estar de parabéns", começou por dizer, em declarações exclusivas ao Jornal Sporting, antes de assinalar o domínio da equipa leonina ao longo do jogo.
 
"Tivemos sempre o controlo total das incidências. É uma vitória inteiramente justa, tal como o resultado o demonstra. Fomos muito superiores. Mas sobretudo o que é mais importante para mim é que a equipa cumpriu com o que foi pedido e continua a crescer de jogo para jogo. Agora é recuperar e continuar a trabalhar", realçou.
 
No ano de regresso da equipa feminina ao Sporting CP, a equipa orientada por Nuno Cristóvão está na liderança do campeonato e nas meias-finais da Taça de Portugal. Para o técnico leonino só passa pela cabeça conquistar as competições. "Quem está no Sporting CP não pode pensar doutra maneira. Em todas as competições que entramos apenas pensamos em ganhar. Podemos não o conseguir, mas esse é sempre o objectivo. Para já o que queríamos era passar às meias-finais e agora que o conseguimos vamos ver quem nos calha no sorteio. Uma coisa é certa, seja qual for o adversário temos que o respeitar e jogar para vencer de forma a atingir a final no Jamor", finalizou.
Foto José Cruz

Atropelamento e fuga no apuramento para as "meias" da Taça

Por Jornal Sporting
19 Mar, 2017

Leoas golearam o Ouriense por 8-0, num jogo em que Diana Silva vestiu a pele de goleadora com um hat-trick

As leoas continuam a sua boa campanha esta época, tendo garantido este domingo, no Estádio Aurélio Pereira, em Alcochete, o apuramento para as meias-finais da Taça de Portugal.
 
O adversário era o Ouriense e o Sporting CP não deu hipóteses, como o resultado final o demonstra (8-0). Diana Silva, com um hat-trick, destacou-se, numa partida em que Nuno Cristóvão não pôde contar com a goleadora Solange Carvalhas e com Ana Capeta, autora de um póquer no último fim-de-semana, ambas por lesão.
 
O primeiro lance de relativo perigo da partida surgiu à passagem do minuto 10. Ana Borges arrancou na direita e cruzou para área, com a guarda-redes do Ouriense a falhar a intercepção e a bola a não sobrar por pouco para uma jogadora leonina.
 
Depois do aviso, as leoas inauguraram mesmo o marcador numa jogada tirada a papel químico da anterior. Ana Borges foi lançada no lado direito e cruzou a bola, com a guarda-redes do Ouriense a largar novamente a bola para a frente e Diana Silva a aproveitar.
 
Logo a seguir, o Sporting CP podia ter chegado ao segundo golo numa bela jogada colectiva, com especial destaque para o grande pormenor técnico de Amélia Pereira. A extremo leonina passou pela adversária directa e lançou Ana Borges no lado contrário, que deixou de calcanhar para Tatiana Pinto, valendo ao Ouriense a rápida saída da baliza da guarda-redes Andreia Borracho a evitar males maiores.
 
A equipa orientada por Nuno Cristóvão não tirou o pé do acelerador e dilatou mesmo a vantagem aos 17 minutos. Diana Silva foi lançada nas costas da defesa da formação visitante, passou pela guarda-redes Andreia Borracho com um bom pormenor e rematou para a baliza deserta.
 
Aos 35 minutos Diana Silva desmarcou bem Amélia Pereira, mas o remate da extremo bateu na barreira defensiva do Ouriense. As leoas continuaram a pressionar e acabaram por chegar ao terceiro golo. Mais uma vez a irrequieta Diana Silva a aparecer nas costas da defesa da formação de Ourém e a ser derrubada por Andreia Borracho dentro da grande área. Penálti para o Sporting CP, com Tatiana Pinto a converter com sucesso. 
 
Pouco depois as leoas ficaram perto do quarto num lance de bola parada, com o cabeceamento de Matilde Figueiras a ser travado em cima da linha de golo. O conjunto verde e branco manteve um ritmo alto e a cinco minutos do intervalo foi a lateral direito Rita Fontemanha a rematar com muito perigo após uma boa combinação com Ana Borges.
 
Diana Silva continuou a ser uma quebra-cabeças para a defesa do Ouriense e depois de rematar ao poste, completou mesmo o hat-trick em cima do intervalo. Antes do descanso ainda houve tempo para o quinto golo, com a lateral esquerdo Joana Marchão também a inscrever o seu nome na lista dos marcadores após mais uma defesa incompleta de Andreia Borracho a remate de Diana Silva.
 
A segunda parte abriu praticamente com nova oportunidade para o Sporting CP. Livre à entrada da área, com Rita Fontemanha na cobrança a rematar ligeiramente ao lado. Apesar do ritmo mais baixo no segundo tempo, as leoas acabariam mesmo por fazer o sexto golo, aos 63 minutos, por intermédio de Amélia Pereira na recarga a um remate à trave de Diana Silva. O Sporting CP aumentou ainda mais a vantagem aos 74 minutos, com a recém-entrada Filipa Mandeiro a bater Andreia Borracho pela sétima vez no encontro.
 
A sete minutos do fim, o conjunto orientado por Nuno Cristóvão chegou ao oitavo tento, com Amélia Pereira a bisar no encontro. Grande incursão de Joana Marchão pelo lado esquerdo, seguida de um cruzamento atrasado para Diana Silva, que rematou para nova defesa para a frente da guarda-redes do Ouriense, com Amélia Pereira oportuna a empurrar para o fundo das redes.
 
Foi o último lance de destaque na partida, com o domínio das leoas a ser inequívoco e a ficar bem demonstrado no resultado final.
Foto José Cruz

Quatro leoas distribuíram autógrafos na Loja Verde

Por Jornal Sporting
18 Mar, 2017

Ana Borges, Tatiana Pinto, Solange Carvalhas e Rita Fontemanha conviveram com os adeptos leoninos durante mais de uma hora

A realizar uma grande temporada e depois de bater o recorde de assistência de futebol feminino em Portugal, a equipa das leoas continuou neste sábado à tarde a promover a proximidade com os Sportinguistas. Numa sessão de autógrafos na Loja Verde que contou com a presença de quatro jogadoras da equipa principal de futebol - Ana Borges, Tatiana Pinto, Solange Carvalhas e Rita Fontemanha -, muitos foram os Sócios e adeptos do Sporting CP a aproveitar a oportunidade para conhecer as jogadoras. 

No final da sessão, que durou mais de uma hora, Rita Fontemanha mostrou-se feliz pela iniciativa e pelo ambiente positivo que se criou entre a equipa feminina e os Sportinguistas. "Foi excelente. Não estávamos à espera de tanta aderência, mas estes adeptos são, sem dúvida, os melhores do Mundo. Estiveram connosco, tirámos fotografias, autógrafos, foi muito bom. Houve até uma menina que chorou quando tirou uma fotografia connosco, foi especial", contou a lateral-direita, que considera que esta ligação forte é resultado da qualidade da época realizada.

"Nas redes sociais somos abordadas por muitos Sportinguistas, que demonstram muito carinho por nós, e queremos devolver essas alegrias. Acho que isso se deve essencialmente pela nossa qualidade de jogo, pelo que damos em campo e pelo amor ao Sporting CP. Acho que eles notam isso acabam por nos acarinhar ainda mais. Em Alvalade foi o culminar de tudo. Ficou para a história para eles e para nós também", concluiu Rita Fontemanha. 

Foto César Santos

"As 11 que entrarem serão as melhores jogadoras disponíveis"

Por Jornal Sporting
17 Mar, 2017

Nuno Cristóvão não quer facilitismos nos quartos-de-final da Taça de Portugal e pretende resolver o jogo nos 90 minutos

O treinador da equipa de futebol feminino, Nuno Cristóvão, só pensa em avançar para as meias-finais da Taça de Portugal e deixa claro que as fichas estão todas colocadas jogo a jogo. Diante do Ouriense, não há rotação e a intenção é resolver a partida em 90 minutos: "As onze que entrarem serão as melhores jogadores disponíveis. Vamos jogar com as atletas em melhores condições, sabendo de antemão que houve várias jogadoras presentes do estágio da Selecção Nacional de sub-19 e que, só chegando na quinta-feira, terão de ser reavaliadas, até porque não treinaram connosco. A [central] Bruna Costa é uma das habituais titulares nessa situação. Queremos ganhar e acredito convictamente que venceremos durante os 90 minutos", explicou.

O técnico salientou o bom momento que a equipa vive, especialmente depois de conseguir assumir a liderança da Liga Allianz. Preparadas, motivadas, mas focadas apenas no jogo seguinte e sem euforias: "Animicamente estamos muito bem. Há sete finais para jogar, mas nesta competição é seguir ou ficar. Queremos dar um passo de cada vez e chegar às meias-finais. O objectivo passa por chegar às decisões e procurar títulos. Sabemos da nossa responsabilidade".

Em antecipação do confronto de domingo em Alcochete (15h00), Nuno Cristóvão destacou o esforço do adversário, reiterando que a prioridade é vencer. Tanto que afirmou que nem treinou penáltis para uma possível decisão por pontapés da marca dos 11 metros.

"O Ouriense apresenta uma excelente atitude durante 90 minutos. É uma equipa diferente, mudou de treinador e alteraram características. Ainda assim, têm duas ou três jogadores que, individualmente, podem fazer diferenças. Queremos evitar desequilíbrios e evitar que periguem a nossa baliza. Não treinámos grandes penalidades, não o faço em semanas que sejam decididas em formato de eliminatória, mas também não penso que cheguemos à decisão por penáltis para resolver a partida", finalizou o timoneiro verde e branco.   

Foto José Cruz

“Queremos manter a liderança”

Por Jornal Sporting
11 Mar, 2017

Nuno Cristóvão quer que as leoas dêem sequência ao bom momento que atravessam

Depois da épica vitória frente ao Sp. Braga, que deu a liderança do campeonato ao Sporting CP, as leoas têm agora este domingo pela frente a equipa do CAC, em jogo da 19.ª jornada da Liga Aliianz (15h). Uma partida em que a formação orientada por Nuno Cristóvão quer continuar a depender apenas de si própria para ser campeã. “Esperamos continuar no mesmo registo e continuar a somar pontos. A perspectiva para este jogo é exactamente a mesma que tínhamos antes da vitória frente ao Sp. Braga. Temos várias finais pela frente e sabemos que para continuarmos na liderança e a depender apenas de nós só a vitória interessa. Conseguimos chegar ao primeiro lugar, situação que ainda não tínhamos obtido esta temporada, e agora queremos manter a liderança”, começou por dizer, em declarações ao Jornal Sporting.

O adversário ocupa a última posição do campeonato, não tendo ainda somado qualquer ponto. O técnico leonino assume o favoritismo, mas realça que as verdes e brancas têm que demonstrar seriedade desde o apito inicial. “É a equipa mais fraca do campeonato, como a classificação o demonstra. Temos a obrigação de ganhar por números folgados. Somos claramente melhores, mas temos que o provar dentro de campo. Pedi às jogadoras duas coisas: primeiro, para se respeitarem a elas próprias enquanto jogadoras deste Clube. Se isso acontecer de certeza que vamos estar bem e vencer o encontro. Depois, relembrei que agora que chegámos à liderança, não podemos dar tiros nos pés”, destacou, antes de abordar a complicada semana de trabalho que viveu pela presença de várias atletas nas selecções.

“As jogadoras que estiveram na Algarve Cup regressaram apenas na quinta-feira. Se contarmos com o jogo frente ao Sp. Braga estas jogadoras têm seis jogos realizados num espaço de 15 dias. A nível físico é complicado, pois existe o risco de surgirem lesões. Por isso, amanhã vai ser feita uma gestão. Isso não é desrespeitar o adversário, é sim, sobretudo, dar oportunidades a outras jogadoras para demonstrarem que podem ser opção”, assinalou.

 Na última jornada frente ao Sp. Braga fez-se história com o Estádio de Alvalade a bater o recorde de assistências de um jogo de futebol feminino. Um apoio que Nuno Cristóvão espera que se mantenha até ao final da época, realçando o papel determinante dos adeptos no percurso das leoas.

“Vou continuar a pedir que marquem presença. Os adeptos são um factor muito importante nesta equipa. No jogo frente ao Sp. Braga foram eles que nos levaram à vitória. Não tenho nenhuma dúvida que esse 12.º jogador pode ser decisivo para aquilo que falta jogar esta época. Apelo a que se continue a assistir a esta onda verde e que ela nos guie à conquista do título nacional”, finalizou.

Páginas

Subscreva RSS - Futebol Feminino